Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise sobre as formas de interpelação e acusação nos discursos de Agostinho Neto, José eduardo dos santo e Jonas Savimbi

Processo: 18/12388-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 28 de agosto de 2018
Vigência (Término): 27 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia
Pesquisador responsável:Iracema Hilário Dulley
Beneficiário:Luisa Tui Rodrigues Sampaio
Supervisor no Exterior: Alice Maria Quelhas Lima Donat Trindade
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidade de Lisboa, Portugal  
Vinculado à bolsa:17/23444-2 - Práticas de acusação nos discursos de Agostinho Neto, José Eduardo dos Santos e Jonas Savimbi, BP.IC
Assunto(s):Identidade étnica   Angola   Guerra civil

Resumo

Este projeto de Estágio de Pesquisa no Exterior (BEPE), ligado à Bolsa de Iniciação Científica financiada pela FAPESP (processo: 2017/23444-2), se direciona à coleta e análise dos designadores de si e de outros presentes nos discursos proferidos pelos líderes políticos dos movimentos de libertação angolanos, o MPLA (Agostinho Neto e José Eduardo dos Santos) e a UNITA (Jonas Savimbi). Tanto os discursos quanto as categorias trazidas por eles serão pensados seguindo a proposta metodológica de Anne McClintock (2010), segundo a qual a constituição histórica das categorias e as interseccionalidades produzidas nas relações entre elas são fundamentais para um processo de entendimento que visa olhar para continuidades e descontinuidades entre os discursos e em relação ao período colonial. Para essa proposta analítica, durante os quatro meses em Portugal, o objetivo é (1) entrar em contato com o campo de estudos consolidado sobre a África lusófona por meio da inserção no Centro de Estudos Africanos da Universidade de Lisboa; (2) coletar materiais sobre os discursos e trajetórias das três lideranças políticas, e também sobre o surgimento e formação dos movimentos dos quais participaram, uma vez quePortugal oferece a possibilidade de acesso a uma literatura e a fontes primárias dificilmente acessíveis no Brasil e relevantes para o desenvolvimento do projeto; (3) ampliar meu conhecimento sobre os atuais debates sobre a África, e em especial sobre Angola, dandomaior atenção aos que tratem do contexto colonial lusófono e das lutas pela independência. Esse estágio de pesquisa será supervisionado pela Drª. Alice Trindade, professora da Universidade de Lisboa e atuante no Centro de Estudos Africanos (CEAF) do Instituto Superior de Ciências e Políticas desta universidade, tendo especialidade em análise em jornalismo literário e estudos sobre territorialidade e identidade em Angola.