Busca avançada
Ano de início
Entree

Câncer pancreático: avaliação da atividade do imunomodulador P-MAPA frente o processo inflamatório induzido quimicamente por 7,12-dimetilbenzantraceno (DMBA)

Processo: 18/05429-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Wagner José Fávaro
Beneficiário:Natália Colombini de Siqueira
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):P-MAPA   Imunomodulação   Neoplasias pancreáticas

Resumo

Embora apresente uma baixa incidência mundial, o câncer pancreático é considerado uma afecção importante devido ao seu diagnóstico frequentemente tardio, uma vez que dificilmente apresenta sintomas precoces. Além disso, a agressividade da doença e a inespecificidade da sintomatologia permitem que a identificação da neoplasia somente ocorra quando esta apresenta-se em estágio avançado. De forma geral, a enfermidade é normalmente diagnosticada a partir da tomografia computadorizada axial, embora existam outros métodos diagnósticos menos empregados. A partir do diagnóstico, preconiza-se o estadiamento seguido do estabelecimento de um plano de tratamento, que, de forma geral, associa a ressecção cirúrgica ao emprego da quimioterapia adjuvante, sendo a Gemcitabina a droga de primeira escolha. Entretanto, devido à vasta gama de efeitos colaterais relacionados ao uso deste quimioterápico, atualmente encontra-se em desenvolvimento o medicamento denominado P-MAPA, utilizado como alternativa à Gemcitabina como tratamento do câncer pancreático. A imunoterapia com esta droga permite a ativação do sistema imune inato mediada pelos receptores Toll-like 2 e 4, os quais serão sinalizados e irão desencadear a translocação do NF-ºB e a subsequente produção de moléculas inflamatórias tais como TNF-±, TGF-² e interleucinas 1 e 6 (IL-1 e IL-6). Em suma, com a ativação do NF-kB ocorrerá a subsequente liberação de citocinas e quimiocinas pró-inflamatórias, processo este que será responsável pela ativação das células T. Desta forma, o presente projeto visa o estudo e caracterização dos efeitos da imunoterapia com P-MAPA empregada como alternativa à Gemcitabina no tratamento do câncer pacreático, avaliando por método de imunohistoquímica a via de ativação Toll-like (CD14, TLR2 e TLR4) e seus subprodutos da via pró-inflamatória (MyD88, NF-kB, TNF-±, TGF-² e IL-6.