Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da ativação elétrica do nervo carotídeo, em ratos acordados, na atenuação das respostas inflamatórias-local e sistêmica-induzidas pela periodontite

Processo: 18/10455-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Helio Cesar Salgado
Beneficiário:Aline Barbosa Ribeiro
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/20549-7 - Avanços na regulação cardiocirculatória em condições fisiológica e fisiopatológica, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):18/23703-0 - Mecanismos da inflamação periodontal e efeitos cardiovasculares, BE.EP.PD
Assunto(s):Barorreflexo   Periodontite   Inflamação   Quimiorreflexo

Resumo

Fundamentação. O nosso laboratório mostrou que o barorreflexo foi capaz de modular as respostas inflamatórias localizadas, por exemplo, na articulação, por meio da inibição simpática (Bassi et al., 2015), enquanto que o quimiorreflexo carotídeo foi capaz de modular as respostas inflamatórias sistêmicas envolvendo o sistema nervoso autônomo simpático e parassimpático (Santos - Almeida et al., 2017). Por outro lado, sabe-se que a periodontite, doença que afeta 30-60% da população, apresenta características inflamatórias localizadas (mandíbula), e sistêmicas (disfunção vascular / hipertensão arterial e doenças inflamatórias intestinais), e até o presente momento não apresenta uma terapia eficaz, exceto abordagens cirúrgicas.Objetivo. Assim, motivado por estudos clínicos de ativação do barorreflexo carotídeo para o tratamento de pacientes hipertensos resistentes à abordagem terapêutica (Grassi et al., 2016), e, também, de remoção unilateral do corpúsculo carotídeo (Narkiewicz et al., 2016), propõe-se no presente estudo examinar o papel da ativação elétrica do nervo carotídeo, no rato acordado, com a finalidade de se caracterizar se o baro- e o quimiorreflexo são capazes de modular as respostas inflamatórias, localizadas e/ou sistêmicas, observadas no modelo de periodontite pela ligadura da mandíbula.Métodos. Ratos Wistar Hannover serão submetidos, sob anestesia, à ligadura mandibular para indução de periodontite e implantação de um estimulador elétrico subcutâneo. Assim, cada animal será equipado com um estimulador elétrico subcutâneo, implantado cronicamente (09 dias), o qual estimulará o nervo carotídeo, diariamente às 17:00h, com os seguintes parâmetros: 0.5 mA; 30; 0.25 ms de duração, por um período de 15 minutos. No oitavo dia após a ligadura da mandíbula, e implantação do estimulador subcutâneo, os animais terão implantados, sob anestesia, um cateter na artéria femoral, para, no dia seguinte se proceder os registros de pressão arterial e frequência cardíaca; estes registros têm a finalidade de se constatar a eficácia da estimulação elétrica do nervo carotídeo, por meio indução de respostas hipotensoras e bradicárdicas. Além disso, serão coletadas amostras de sangue (1 mL) para análise de citocinas plasmáticas. Em seguida, os animais serão anestesiados para a realização de biópsias óssea e gengival, e em seguida submetidos à decapitação, por meio de uma guilhotina, para coleção do epitélio intestinal, o qual será congelado para posterior análise de citocinas teciduais.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.