Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de insetos hematófagos como sentinelas na detecção de circulação de espécies de Leishmania

Processo: 18/05133-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Marcia Aparecida Speranca
Beneficiário:Leticia Abrantes de Andrade
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Leishmaniose   Parasitos   Biomarcadores   Técnicas e procedimentos diagnósticos   Marília (SP)

Resumo

As leishmanioses, causadas por protozoários do gênero Leishmania, formam um complexo de doenças antropozoonóticas caracterizadas pela interação de parasitos, vetores invertebrados, hospedeiros e reservatórios vertebrados, com fatores ambientais, sociais e humanos. Fêmeas de insetos dípteros da subfamília Phlebotominae infectadas transmitem o parasito para seus hospedeiros vertebrados como humanos e cães, que podem desenvolver dois tipos característicos da Leishmaniose, a Leishmaniose Tegumentar (LT), conhecida como cutânea, associada ao aparecimento de úlceras na pele, e mucosa podendo causar desfiguração da nasofaringe; e a Leishmaniose Visceral (LV) caracterizada pela cronicidade, trazendo riscos ao coração, fígado e baço, podendo levar o indivíduo afetado a óbito, se não tratada. O conhecimento da circulação de parasitas do gênero Leishmania em determinada área pode auxiliar as instituições de saúde pública no planejamento de estratégias de controle da transmissão das LT e LV. A detecção de agentes infecciosos circulantes por meio da utilização de biomarcadores sensíveis e específicos em organismos sentinela tem sido uma alternativa utilizada com sucesso, por exemplo, na detecção da febre amarela através da identificação de macacos acometidos. Outro exemplo consiste na identificação de poluentes no ambiente aquático, incluindo rios, lagos e oceanos relacionados com as atividades industriais e agropecuárias. Insetos hematófagos se alimentam de diferentes hospedeiros verberados e os ácidos nucléicos de agentes infecciosos, que circulam no sangue ingerido por esses insetos, podem ser detectados por reação em cadeia da polimerase. Desta forma, esse projeto tem por objetivo a detecção da circulação de espécies de Leishmania em Marília, estado de São Paulo, por meio da utilização de insetos hematófagos como sentinela e o gene que codifica a quitinase desses parasitos como biomarcador. (AU)