Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade genômica do gastrópode Littoraria flava (King & Broderip, 1832) e estudo de padrões de fluxo gênico

Processo: 18/05118-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Sónia Cristina da Silva Andrade
Beneficiário:Thainá Cortez Silva
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/20139-9 - Genética de paisagens marinha e avaliação de perfis de expressão em invertebrados marinhos na costa sudeste brasileira, AP.JP
Assunto(s):Fluxo gênico   Evolução biológica   Genética populacional   Gastropoda

Resumo

O fluxo gênico é um processo que está diretamente relacionado com o mecanismo de dispersão das espécies, e este, por sua vez, sofre influência direta do modo reprodutivo, bem como do tipo de desenvolvimento larval, tolerância ambiental e presença de barreiras ambientais, possuindo papel fundamental na estruturação genética populacional. As correntes oceânicas locais, por constituírem barreiras biogeográficas, devem ser correlacionadas à capacidade de dispersão para melhor entendimento do estudo. A espécie Littoraria flava (King & Broderip, 1832), pertencente à família Littorinidae, é um dos gastrópodes mais comuns na costa Brasileira, ocorrendo em grande abundância em costões rochosos. A espécie possui variações de formas conhecidas, bem como detalhamento de estruturas anatômicas e morfológicas bem descritas. Sabe-se que seu desenvolvimento ocorre por larva planctotrófica, no qual seu estágio larval apresenta longo período pelágico, fator que propicia a dispersão. Questões ecológicas da espécie já foram amplamente estudadas em demais trabalhos. No presente estudo busca-se, através da técnica de GBS (Genotyping-by-sequencing), investigar a diversidade genética da espécie L. flava ao longo do costão rochoso da costa Sudeste e averiguar se esta apresenta subpopulações que exibem padrões de microestruturação a poucos metros entre os diferentes sítios. A utilização da técnica de GBS permitirá prospectar uma maior diversidade de regiões do genoma, inclusive aquelas que podem estar sob ação da seleção natural ou ligadas às regiões sob seleção, e, ainda, é capaz de inferir com maior acurácia os processos demográficos que podem estar afetando as populações amostradas. (AU)