Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da plasticidade neural mioentérica do duodeno de hamsters infectados com Leishmania (Leishmania) infantum

Processo: 18/06778-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Renata de Britto Mari
Beneficiário:Italo Novais Cavallone
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiopatologia   Sistema nervoso entérico   Plasticidade neuronal   Leishmania infantum   Modelos animais de doenças

Resumo

A leishmaniose visceral (LV) é uma zoonose em expansão, tanto em números de casos quanto em distribuição geográfica, e está associada a condições precárias de saneamento básico e degradação ambiental. O aumento do número de casos de LV na zona costeira é consequência de fatores geográficos, como a ocupação desordenada do espaço urbano, avanço para região de mata atlântica, introdução de hospedeiros infectados, domiciliação do vetor e oferta de novas fontes alimentares. As conexões entre biodiversidade e doença são claras e suficientes para aumentar a urgência de esforços locais, regionais e globais de conservação dos ecossistemas naturais, bem como, estudos que visam compreender a fisiopatologia da doença e tratamentos acessíveis à população. Quanto às manifestações clínicas, observa-se que o parasito tem tropismo pelos órgãos do sistema imunológico, como o baço, medula óssea e linfonodos, entretanto, os parasitos causadores de LV comprometem outros órgãos de vertebrados, incluindo o trato gastrintestinal. Na LV têm sido demonstrados alterações morfológicas ao longo do sistema digestório, entretanto, até o presente momento a dinâmica destas alterações, e seu impacto sobre o sistema nervoso entérico, não foram estudadas. Desta forma, este projeto visa analisar sequencialmente o comprometimento do plexo mioentérico do duodeno de hamsters dourados (Mesocricetus auratus) infectados por L. infantum, utilizando como parâmetros a quantificação e morfometria neuronal de duas subpopulações de neurônios (metabolicamente ativos e nitrérgicos). Hamsters infectados serão sacrificados após 30, 60 e 90 dias pós-infecção, hamsters não infectados também serão sacrificados nos mesmos períodos experimentais. Após sacrifícios, os respectivos duodenos serão coletados e submetidos às técnicas de NADH-dp para marcação de neurônios metabolicamente ativos, e NADPH-dp para marcação de neurônios nitrérgicos, e destinados a análise morfoquantitativa dos neurônios mioentéricos. Os dados obtidos serão comparados com os respectivos grupos controles. Este projeto contribui ao entendimento da fisiopatologia da LV, e ainda poderá dar subsídios para implementar a quimioterapia das leishmanioses. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.