Busca avançada
Ano de início
Entree

Tratamento de águas residuárias contaminadas por compostos organoclorados

Processo: 18/09850-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Engenharia Agrícola - Engenharia de Água e Solo
Pesquisador responsável:Juliane Cristina Forti
Beneficiário:Renata Fernandes Alves
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Engenharia. Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Tupã. Tupã , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/22115-2 - Tratamento de águas residuárias agroindustriais usando processos eletroquímicos oxidativos avançados, AP.R
Assunto(s):Indústria agrícola   Tratamento de águas residuárias   Reúso da água   Agrotóxicos   Inseticidas organoclorados   Bioacumulação   Poluição da água   Efluentes industriais

Resumo

A preocupação com a qualidade do ambiente tem se intensificado nas últimas décadas devido à deterioração e a escassez de água, aliada a uma maior conscientização dos riscos eminentes à saúde humana. Dentre a contaminação de águas residuárias por atividades agroindustrias destaca-se a presença dos compostos organoclorados, os quais são considerados importantes contaminantes aquáticos desde 1976 pela EPA (Environmental Protection Agency) devido à sua toxicidade, persistência e bioacumulação nos organismos aquáticos. Novas tecnologias têm sido estudadas para tratar efluentes agroindustriais visando a diminuição do impacto ambiental e a diminuição de custos nos processos, por meio da reutilização da água. Dentre as tecnologias desenvolvidas vem se destacando os Processos Eletroquímicos Oxidativos Avançados, os quais utilizam métodos eletroquímicos para a geração do radical hidroxila, possuindo um alto poder de oxidação para mineralizar compostos orgânicos ou oxidá-los a moléculas com menor grau de toxicidade. Neste projeto propõe-se o tratamento de águas residuárias contaminadas por organoclorados presentes em fertilizantes e pesticidas por meio dos processos de oxidação anódica e eletro-Fenton, análise dos possíveis subprodutos formados e das condições ecotoxicológicas, a fim de proporcionar o reuso desta água. (AU)