Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistema de biotelemetria para redução de custos assistenciais e foco na qualidade de vida de idosos com condições crônicas

Processo: 18/10050-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Alessandra Gallo Petraroli Tateyama
Beneficiário:Gabriel Tamashiro
Empresa:Deepgreen's Lab Treinamentos Ltda
CNAE: Atividades de apoio à gestão de saúde
Vinculado ao auxílio:17/15513-4 - Sistema de biotelemetria para redução de custos assistenciais e foco na qualidade de vida de idosos com condições crônicas, AP.PIPE
Assunto(s):Medicina baseada em evidências   Saúde do idoso   Idosos   Qualidade de vida   Equipamentos de medição   Telemetria   Redução de custos

Resumo

A proposta é desenvolver uma plataforma de biotelemetria baseada em mHealth, tecnologia vestível e algoritmos de análise (analytics) que seja capaz de atuar na detecção dos pontos de intervenção ou níveis de aplicação das medidas preventivas do processo de saúde-doença do idoso em condição crônica para diminuir as idas ao pronto socorro e possíveis internações hospitalares, e com isso diminuir os custos financeiros. Também possibilitará emitir relatórios estruturados que possam ser utilizados para prática da Saúde Baseada em Evidência (SBE), relatórios para o médico e equipe interdisciplinar, ao prestador e para a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). O processo saúde-doença é analisado como um sistema evolutivo, no qual existem momentos de atuação preventiva a progressão da doença. O acompanhamento à distância introduzirá medições fisiológicas na jornada diária do idoso. Os medidores serão selecionados conforme necessidade individual e os dados gerados serão enviados automaticamente para uma central de monitoramento 24 horas. Serão monitoradas até 4 patologias: HAS (hipertensão arterial), Cardiopatia, DPOC (Doença pulmonar crônica obstrutiva) e diabetes. Serão criados protocolos operacionais com objetivo de nortear os parâmetros das medições para dar suporte ao autocuidado, apoio a decisão, aumentar a sensação de segurança dos idosos e melhorar os desfechos dos tratamentos. Futuramente, pretende-se trabalhar com algoritmos analíticos da categoria dos preditivos e prescritivos para que o sistema seja capaz de antecipar possíveis situação de risco ao idoso. (AU)