Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade morfológica no autopódio de salamandras e tritões (Caudata: Lissamphibia): relações com aspectos ecológicos e taxas de diversificação

Processo: 18/00873-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia
Pesquisador responsável:Tiana Kohlsdorf
Beneficiário:Stella Marco Kyomen
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/07650-6 - Ecologia, evolução e desenvolvimento (Eco-Evo-Devo) na herpetofauna brasileira, AP.TEM
Assunto(s):Evolução animal   Lissamphibia   Caudata   Salamandra

Resumo

A história evolutiva de Tetrapoda é marcada por uma série de eventos de diversificação morfológica, muitos deles resultando em variações nos apêndices locomotores que envolveram inclusive eventos independentes de perda de um ou muitos dígitos do autopódio em linhagens específicas. Dentre os tetrápodes, os representantes atuais de Lissamphibia exibem variações marcantes no número de dígitos e em suas fórmulas falangeais que podem estar relacionadas com aspectos ecológicos, como uso de microhabitats específicos. A ordem Caudata agrega salamandras e tritões, e é caracterizada por uma grande diversidade taxonômica, ecológica e morfológica, destacando-se também pela variação interespecífica no número de dígitos presentes no autopódio. Apesar dessa reconhecida diversidade, a literatura vigente carece do mapeamento da variação no número de dígitos nesse clado e de testes de hipóteses investigando associações ecológicas e evolutivas dos padrões digitais existentes. A avaliação desses padrões sob uma perspectiva ecomorfológica e macroevolutiva pode elucidar questões relacionadas com a influência dos regimes ecológicos nos processos de diversificação em Caudata. O presente projeto de Iniciação Científica objetiva mapear filogeneticamente a variação no número de dígitos e fórmulas falangeais em Caudata, testando subsequentemente hipóteses de associação dos padrões identificados com parâmetros ecológicos (uso de habitats e microhabitats) e evolutivos (taxas de diversificação). A proposta se destaca por seu mérito científico na área de Biologia Evolutiva e também pela formação diferenciada que propiciará à aluna de iniciação científica associada ao projeto.