Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da abdominoplastia em âncora no perfil metabólico de pacientes submetidos à cirurgia plástica pós-bariátrica

Processo: 17/19887-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Pedro Soler Coltro
Beneficiário:Beatriz Edla Caetano
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Cirurgia plástica   Metabolismo   Cirurgia bariátrica   Obesidade

Resumo

Pacientes submetidos à cirurgia bariátrica apresentam deformidades do contorno corporal, principalmente na região abdominal, decorrentes da perda ponderal maciça. Nesse sentido, a realização de abdominoplastias tem aumentado. Além da melhora dos aspectos estéticos, psicossociais e prevenção de complicações advindas do excesso de pele e de gordura, acredita-se que a retirada de tecido cutâneo- gorduroso promovida pela abdominoplastia em âncora pós-bariátrica, ao melhorar o padrão de distribuição de gordura, contribuiria para reduzir o risco de distúrbios metabólicos e de doenças cardiovasculares. No entanto, os estudos existentes acerca desses efeitos ainda são inconclusivos por não apresentarem consenso entre si. Associado a isso, não há trabalhos avaliando especificamente os efeitos da abdominoplastia em âncora pós-bariátrica no metabolismo. O objetivo deste estudo prospectivo é, portanto, avaliar os efeitos dessa intervenção cirúrgica no perfil metabólico de pacientes após a cirurgia bariátrica. Dessa forma, será visto se ela se correlaciona a melhores indicadores metabólicos nesse grupo, o que pode corroborar para com a manutenção do efeito esperado com a gastroplastia redutora. Pacientes e métodos: inicialmente, serão incluídos 15 pacientes, que serão submetidos à dermolipectomia abdominal, no HCFMRP-USP. Os seguintes parâmetros serão analisados no pré e no pós-operatório a fim de se estudar a quantidade, a distribuição e a funcionalidade do tecido adiposo remanescente: composição corporal, pregas cutâneas, relação cintura-quadril, circunferência abdominal, pressão arterial, lipidograma, uricemia, glicemia, insulinemia de jejum, sensibilidade à insulina (HOMA-IR), adipocinas no soro e estimativa de resistência à insulina a partir de teste oral de sobrecarga de glicose (TTOG), sendo apenas este último teste realizado antes e 180 dias depois da cirurgia e todos os outros aferidos antes e com 30, 90 e 180 dias após a cirurgia. A análise estatística dos dados será realizada por meio de testes paramétricos (teste t de Student) e não paramétricos. A comparação dos parâmetros, ao longo do tempo de estudo, será realizada utilizando o teste de Wilcoxon ou o teste t pareado. O nível de significância adotado será p<0,05.