Busca avançada
Ano de início
Entree

Análises genômicas e biogeográficas de borboletas montanas da Mata Atlântica: Actinote e Pampasatyrus

Processo: 18/11591-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 17 de agosto de 2018
Vigência (Término): 27 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Karina Lucas da Silva-Brandão
Beneficiário:Luiza de Moraes Magaldi
Supervisor no Exterior: Fabien Condamine
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université Montpellier 2, França  
Vinculado à bolsa:15/24663-4 - Diversificação e biogeografia de borboletas montanas no Sudeste do Brasil, BP.DR
Assunto(s):Filogenia   Mata Atlântica   Biogeografia

Resumo

Regiões montanas são ambientes ideais para o estudo de processos que moldam a distribuição das espécies que podem levar a especiação. Este projeto propoe o uso de dois gêneros de borboletas para compreender e testar hipóteses biogeográficas nas serras da Mata Atlântica. Para isso, compararemos dois clados de borboletas da família Nymphalidae que habitam ambiente distintos da Mata Atlântica: campos de altitude (Pampasatyrus) e ambientes abertos florestais (Actinote). Nossa hipótese principal é que esses dois clados apresentam assinaturas genéticas distintas relacionadas aos diferentes processos biogeográficos das fisionomias que estão associados. Além disso, é proposto a montagem da biblioteca genômica de Actinote mantiqueira e Actinote conspicua. Com esses dados, nós exploraremos como as diferenças ecológicas entre essas duas espécies de Actinote que co-ocorrem na Mata Atlântica afetam os seus padrões de diversidade genética utilizando ferramentas de gênomica populacional para buscar SNPs nessas espécies. Os SNPs produzidos também serão utilizados para inferir a divergência molecular entre duas espécies irmãs A. alalia e A. mantiqueira, esta espécie foi recentemente descrita e se distingue das populações do sul do Brasil (A. alalia), ocorrendo na região sudeste do Brasil. O estudo de genômica populacional aqui proposto busca regiões sob seleção relacionadas a adaptações a ambientes montanos tropicais entre espécies irmãs e será o primeiro a montar bibliotecas genômicas para Actinote.