Busca avançada
Ano de início
Entree

Colóides poliméricos em ambientes biológicos: da síntese de polímeros às nanobiointerfaces

Processo: 18/11038-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Fernando Carlos Giacomelli
Beneficiário:Fernando Carlos Giacomelli
Anfitrião: Philippe Guegan
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université Pierre et Marie Curie (Paris 6), França  
Assunto(s):Química de interfaces   Coloides   Micelas poliméricas   Copolímeros   Síntese

Resumo

Esta proposta trata de uma investigação abrangente na grande área de química de interfaces (colóides poliméricos) e envolve desde a síntese de polímeros, auto-organização em solução e comportamento em ambientes biológicos. As atividades propostas se iniciarão com a síntese de copolímeros em bloco anfifílicos contendo poliglicidol (PGL) ou poli (2-metil-2-oxazolina) (PMeOx) como bloco hidrofílico ligados covalentemente a poli(óxido de butileno)(PBO) como segmento hidrofóbico. A síntese de polímeros é uma ferramenta consolidada no grupo anfitrião francês, e a principal fragilidade do grupo de pesquisa brasileiro baseado na Universidade Federal do ABC. Na etapa seguinte, micelas poliméricas e polymersomes (vesículas poliméricas) serão produzidas a partir dos copolímeros de bloco sintetizados (PMeOxm-b-PBOn e PGLm-b-PBOn) com diferentes razões hidrofílica/hidrofóbica e se procederá a detalhada caracterização dos sistmas auto-organizados utilizando-se técnicas de imagem e espalhamento de luz. A etapa final tem como objetivo a verificação de efeitos de morfologia e natureza química na adsorção de proteínas plasmáticas sobre a superfície dos sistemas poliméricos nanoestruturados produzidos. A adsorção de proteínas sobre a superfície de nanopartículas fatalmente altera a internalização celular, biodistribuição e tráfico intracelular. Portanto, durante o estágio de pós-doutorado, se buscará avançar na fronteira do conhecimento em que pese à síntese de polímeros e interações proteína-nanopartícula (formação de coroa proteica) e a sua relação com a morfologia e natureza química das nanoestruturas. (AU)