Busca avançada
Ano de início
Entree

Restrição protéica materna e carcinogênese prostática: abordagens integrativas baseadas em análises ômicas

Processo: 17/25198-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Luis Antonio Justulin Junior
Beneficiário:Sérgio Alexandre Alcantara dos Santos
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/03121-0 - Carcinogênese na próstata ventral na prole de ratas expostas à restrição proteica materna. papel dos microRNAs, BE.EP.PD
Assunto(s):Reprodução   Desenvolvimento fetal   Transformação celular neoplásica   Neoplasias da próstata   Envelhecimento   Restrição calórica   Modelos animais

Resumo

Nas últimas décadas, tem sido observado um aumento da incidência de doenças relacionadas a alterações no metabolismo, que afetam tanto crianças como adultos. Dentre as mais prevalentes estão a Obesidade, Diabetes, doenças cardiovasculares e até mesmo alguns tipos de Câncer. Evidências epidemiológicas demonstram que doenças crônicas podem ter origem a partir de insultos sofridos ainda durante o desenvolvimento intrauterino, condição conhecida como Programação Fetal (PF). Apesar disso, os mecanismos moleculares envolvidos neste processo são pouco conhecidos. Neste contexto, o avanço de tecnologias de sequenciamento em larga escala baseadas na combinação de "omas" (transcriptoma, MicroRNoma e proteoma) utilizando ferramentas de bioinformática, tem possibilitado uma visão integrativa global de mecanismos moleculares em condições normais e patológicas. Considerando resultados do nosso grupo que demonstram o papel da restrição proteica materna em alterar o desenvolvimento e aumentar a incidência de lesões prostáticas na prole de ratos, o objetivo deste trabalho será integrar os perfis globais de expressão de microRNas (microRNoma), de expressão gênica (transcriptoma) e proteica (proteoma) da próstata de ratos que sofreram restrição proteica materna para identificar vias moleculares envolvidas no desenvolvimento de lesões prostáticas. Para isso, serão utilizados ratos machos da linhagem Sprague Dawley com 540 dias de idade pós-natal nascidos de mães alimentadas com ração padrão (17% de proteína) ou com ração hipoproteica (6% proteína) durante a gestação e lactação. Após este período, os animais serão eutanasiados e a próstata ventral será coletada. Serão analisados os perfis globais, de expressão de microRNas (microRNoma) e mRNAs (transcriptoma) por sequenciamento de última geração (HigSeq-2000 Illumina), e de proteínas (proteoma), por espectrometria de massas (LC-Ms/Ms). Após isto, será realizada uma análise integrativa e comparativa destes dados entre os grupos experimentais. Estes resultados serão comparados aos dados de transcriptoma, microRNoma e do proteoma para Adenocarcinoma prostático, disponíveis na literatura (bancos de dados). Esta solicitação de bolsa de pós-doutorado está vinculada a um auxílio regular FAPESP (Proc. 2017/01063-7) que tem como objetivo investigar, por meio de análises globais, possíveis mecanismos moleculares alterados na prole de ratos restritos aos 21 dias de idade e que podem ter relação com a maior incidência de lesões observadas nestes ratos com o envelhecimento. Com o desenvolvimento destes projetos, nosso grupo obterá dados robustos em larga escala, não somente de vias moleculares alteradas durante as fases iniciais do desenvolvimento, mas também das repercussões tardias deste modelo de programação fetal sobre a próstata (AU)