Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de uma nova estratégia de inibição in vitro de Zika Vírus e Influenza Vírus utilizando a técnica de edição de RNA CRISPR-Cas13 como alternativa de tratamento

Processo: 18/10913-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Edison Luiz Durigon
Beneficiário:Flávio da Silva Mesquita
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/20045-7 - Descoberta de antígenos e desenvolvimento de métodos de diagnóstico sorológico e estratégias vacinais contra o Vírus Zika (ZIKV), AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):19/09887-4 - Identificação de genes de células hospedeiras que afetam a retenção de mRNA e a função de Rev-RRE de HIV, BE.EP.DD
Assunto(s):Virologia   Vírus Zika   Influenza   Proteínas associadas a CRISPR   Sistemas CRISPR-Cas

Resumo

Diversas pandemias de gripe causadas pelo vírus da Influenza já foram descritas, sendo a última ocorrendo há menos de dez anos. O perigo de uma nova pandemia está sempre presente, principalmente pela capacidade de rearranjo particular a este vírus. A doença é causada pelo vírus da Influenza, pertencente à família Orthomyxoviridae. O aumento da frequência de vírus mutantes em circulação tem causado preocupação, uma vez que um dos inibidores da proteína de superfície neuraminidase (Oseltamivir) é, o antiviral mais prescrito para o controle de infecções por Influenza Vírus. O surgimento de cepas resistentes ao Oseltamivir entre os vírus da Influenza A (H1N1) expõe a necessidade de se encontrar novas formas de tratamento. É neste contexto que entra as novas formas de combate a infecções virais, e uma técnica está nos holofotes há pelo menos quatro anos: a ferramenta de edição genômica CRISPR-Cas, desenvolvida a partir de um mecanismo de defesa imune adquirida de procariotos. A técnica utilizando a proteína Cas9, que possui o DNA genômico como alvo, já foi extensivamente estudada, e agora uma nova nuclease Cas começa a ganhar notoriedade: a proteína Cas13, que cliva moléculas de RNA e não DNA. A partir dessa técnica, um grupo já conseguiu utilizá-la como rastreador de RNA in vivo, como método diagnóstico e como editor genômico. Além do vírus da Influenza, em um desenvolvimento de uma alternativa terapêutica para vírus de RNA, é importante testar o tratamento tanto em vírus de senso negativo (RNA-), quanto em vírus de senso positivo (RNA+). O vírus da Influenza é um vírus com genoma de RNA- e a escolha para vírus de RNA+ foi o vírus da Zika, principalmente pelo seu impacto na saúde pública brasileira e mundial, dado que já foi declarado uma "Emergência Global" pela Organização Mundial da Saúde. Além disso, o ZIKV não possui terapias licenciadas e reforça a importância de se criar um método de tratamento ou mesmo de prevenção para seu combater. Portanto, nosso objetivo com este trabalho é utilizar a nova técnica como forma de tratamento para os vírus Influenza e Zika, levando em conta particularidades dos genomas destes vírus que seriam excelentes alvos para a proteína Cas13. Além disso, o trabalho também aumentará o estudo sobre essa nova nuclease ao testar novas formas de entrega/transfecção, possibilitando agregar novas peças no estudo de editores genômicos. (AU)