Busca avançada
Ano de início
Entree

Dinâmica da matéria orgânica e qualidade do solo em sistemas de produção agropecuários

Processo: 18/07625-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia
Pesquisador responsável:Marcelo Andreotti
Beneficiário:Deyvison de Asevedo Soares
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira , SP, Brasil
Assunto(s):Sistemas de produção   Matéria orgânica do solo   Metabolismo   Qualidade do solo   Plantio direto   Soja   São Paulo   Teste de Tukey

Resumo

A preservação de adequados teores da Matéria Orgânica do Solo (MOS) é fundamental para a manutenção da sua qualidade física, química e biológica, pois está atrelada a todos os processos envolvendo estes três elos. A MOS contém grande parte do carbono e estoque de nutrientes do solo, logo, estudos sobre a sua sensibilidade às mudanças no uso da terra são de suma importância para o monitoramento da sua qualidade, sobretudo em solos arenosos que apresentam estrutura fraca e merecem especial atenção quando da sua exploração agropecuária, para que mantenham um padrão de sustentabilidade na continuidade do ciclo da água, sustentação da vida microbiana e produção agropecuária. O objetivo do presente estudo é avaliar os atributos físicos, químicos e o metabolismo microbiano do solo sob os sistemas plantio direto, convencional e integração lavoura-pecuária, além de estabelecer relações entre estes atributos e a produtividade das culturas em sucessão, além de avaliar o metabolismo das plantas de soja cultivada sobre o residual de cada sistema, ao final de uma temporada de dois anos. O experimento teve início no ano de 2016 e tem sido conduzido nos anos agrícolas de 2017/18 até 2019, no município de Caiuá- SP. O delineamento experimental será de blocos ao acaso com 7 tratamentos e quatro repetições, sendo os seguintes tratamentos: 1 - soja - milho + U. ruziziensis; 2 - soja - milho + capim Piatã; 3 - soja - milho + capim Paiaguás; 4 - soja - Piatã (pastejo 2 anos) - soja; 5 - soja - Paiaguás (pastejo 2 anos) - soja; 6 - soja - milho (plantio direto); 7 - soja - milho (preparo convencional). Serão determinadas a produtividade de matéria seca da parte aérea e grãos do milho, matéria seca da parte aérea das forrageiras e a produtividades de grãos da cultura da soja cultivada em sucessão nos sistemas. Antes e depois de cada estação de cultivos, em toda a área experimental, estão sendo coletadas amostras indeformadas de solo para realização de análises físicas, bem como amostras deformadas para o levantamento da fertilidade do solo, fracionamento físico e químico da matéria orgânica e avaliação do grau de humificação ao final de cada ano agrícola. Durante o ciclo da soja serão mensuradas a temperatura e umidade do solo. No início e no final de cada cultivo de outono/inverno serão coletadas amostras da biomassa de cada forrageira, colocadas em sacos de naylon e depositados em contato direto com o solo para a avaliação da decomposição das palhas de cada espécie. Ao final de dois anos, quando será fechado a temporada das pastagens perenes, a área experimental total será cultivada com soja e, então, será avaliado o metabolismo destas plantas (IRGA) e a atividade enzimática do solo. Os dados serão submetidos a análises estatísticas com o auxílio do programa R e as médias comparadas pelo teste de Tukey. (AU)