Busca avançada
Ano de início
Entree

Relação entre fungos micorrízicos e espécies de eucalipto com diferentes níveis de tolerância ao déficit hídrico

Processo: 18/12665-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 05 de setembro de 2018
Vigência (Término): 04 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Elke Jurandy Bran Nogueira Cardoso
Beneficiário:Bruna Andréia de Bacco Lopes
Supervisor no Exterior: Siobhán Staunton
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Local de pesquisa : Institute de Recherche pour le Développement (IRD), França  
Vinculado à bolsa:17/16608-9 - Relação entre fungos micorrízicos e espécies de eucalipto com diferentes níveis de tolerância ao déficit hídrico, BP.MS
Assunto(s):Escassez de água   Microbiologia do solo   Micorriza   Eucalipto

Resumo

O gênero Eucalyptus corresponde a quase 80% das florestas plantadas no Brasil, o que faz da silvicultura uma atividade de grande importância no cenário nacional e internacional. Apesar de sua adaptabilidade, o eucalipto não deixa de estar sujeito aos prejuízos que as mudanças climáticas podem causar, especialmente o déficit hídrico. A maioria das plantas possui estratégias de sobrevivência em situações de escassez de água. Pode-se dizer que a associação com fungos micorrízicos (FM) é uma delas, pois aumentam a absorção de água e nutrientes pelas raízes. Nesse sentido, o objetivo principal deste trabalho é avaliar a colonização de fungos micorrízicos em seis espécies de Eucalyptus com diferentes níveis de tolerância à seca. Serão realizados dois ensaios: um em campo e outro em casa de vegetação. Em casa de vegetação, os vasos serão submetidos a diferentes níveis de água: 50, 75 e 100% da capacidade de campo durante três meses. No campo, serão realizadas coletas em dois períodos diferentes: após o período seco e após o período chuvoso. As amostras de solo e raízes finas coletadas dos dois experimentos serão submetidas a análises microbiológicas e moleculares. Será avaliada a colonização radicular por FM, analisados os genes ITS por PCR quantitativo (qPCR) e a estrutura da comunidade fúngica pelo polimorfismo terminal do fragmento de restrição (T-RFLP). Por fim, todos os dados serão analisados estatisticamente (AU)