Busca avançada
Ano de início
Entree

Fragilidade, sintomas depressivos e qualidade de vida: um estudo com idosos cuidadores

Processo: 18/04980-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem de Saúde Pública
Pesquisador responsável:Ariene Angelini dos Santos Orlandi
Beneficiário:Letícia Alves de Melo
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Saúde pública   Serviços de saúde   Enfermagem geriátrica   Idoso fragilizado   Cuidadores   Depressão   Qualidade de vida   Análise transversal

Resumo

A síndrome da fragilidade e os sintomas depressivos podem ser considerados importantes problemas de saúde pública devido à alta prevalência entre os idosos e aos efeitos negativos sobre o bem-estar dos indivíduos afetados. Sendo assim, mediante a identificação precoce dessas condições, intervenções podem ser planejadas no sentido de reduzir os gastos com os serviços de saúde e melhorar a qualidade de vida desses indivíduos. Objetivo: analisar a relação entre fragilidade, sintomas depressivos e qualidade de vida de idosos cuidadores de outros idosos. Método: estudo descritivo, correlacional e transversal. Será desenvolvido a partir de dados pertencentes ao banco de dados eletrônico do estudo principal. A amostra do presente estudo será composta por todos os idosos do banco de dados que atenderem os seguintes critérios de inclusão: ser o cuidador primário de um idoso; residir na mesma casa que o idoso cuidado. O critério de exclusão utilizado será: idosos que não apresentarem os dados completos de fragilidade, sintomas depressivos, cognição e qualidade de vida. Serão analisados os dados referentes aos seguintes instrumentos: Caracterização do idoso cuidador, Mini Exame do Estado Mental, Escala de Depressão Geriátrica, Short Form 6 Dimensions, Critérios de fragilidade propostos por Linda Fried (adaptado), Índice de Katz para atividades básicas de vida diária e Escala de atividades instrumentais de vida diária de Lawton. O teste de Kolmogorov-Smirnov será utilizado para verificar a aderência ou não à distribuição normal das variáveis e definir o uso de testes paramétricos (em caso de normalidade) ou não paramétricos (em caso de não normalidade dos dados). O nível de significância para os testes estatísticos será p-valor d 0,05. (AU)