Busca avançada
Ano de início
Entree

O estigma relativo à doença mental entre estudantes de medicina da Universidade Estadual de Campinas

Processo: 18/06378-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Ana Maria Galdini Raimundo Oda
Beneficiário:Valeria Hiromi Arashiro Ota
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Saúde pública   Serviços básicos de saúde   Serviço social em psiquiatria   Transtornos mentais   Estudantes de medicina   Estigma   Inquéritos e questionários

Resumo

O estigma relativo à doença e ao doente mental apresenta-se como um grave problema que traz sérias consequências à Saúde Pública. A literatura científica indica que a população geral bem como, os profissionais de saúde, possuem uma visão discriminatória em relação a pessoas com transtornos mentais. Há sólidas evidências de que pessoas com transtornos mentais têm menos acesso a serviços básicos de saúde, que recebem pior cuidado em saúde; além disso, aquela com transtornos mentais graves tem taxas muito mais elevadas de mortalidade em relação à população geral, sendo de 10 anos mais o valor médio da vida potencial perdida neste grupo. Este fato, em grande medida, mostra-se correlacionado ao estigma sobre a doença mental. Ações de redução do estigma tendem a ser mais eficazes quando realizadas com estudantes de cursos de graduação em saúde, quando comparadas àquelas dirigidas a profissionais já graduados. Tendo em vista ainda que as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Medicina preconizam a formação do médico generalista, é fundamental que haja uma tentativa de diminuir o estigma acerca de pessoas com transtorno mental, uma vez que todo médico terá de lidar com estas pessoas. O presente projeto tem como objetivo geral mensurar o estigma relativo à doença mental presente entre os estudantes de medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), através da aplicação do Questionário de Atribuição AQ-26B, um instrumento padronizado de pesquisa já validado para o português brasileiro. A partir da análise dos resultados, serão colaborativamente traçadas estratégias específicas de intervenção para redução do estigma entre os estudantes da referida Faculdade. (AU)