Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise dos efeitos dos hormônios relacionados ao estresse sobre o dano no DNA e transformação maligna de queratinócitos humanos de boca

Processo: 17/07784-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Daniel Galera Bernabé
Beneficiário:Vitor Bonetti Valente
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Transformação celular neoplásica   Neoplasias bucais   Mucosa bucal   Norepinefrina   Hidrocortisona   Dano ao DNA

Resumo

Evidências recentes mostram que os hormônios do estresse derivados da ativação do Sistema Nervoso Simpático (SNS) e do eixo Hipotálamo-Pituitária-Adrenal (HPA) podem promover danos no DNA e, consequentemente, influenciar a tumorigenicidade de células somáticas. O câncer de boca tem como principais fatores de risco o tabagismo e alcoolismo, entretanto não há estudos que avaliaram os efeitos diretos da exposição aos hormônios do estresse na transformação maligna de queratinócitos humanos derivados da mucosa bucal ou como cofator da carcinogênese química. O objetivo deste estudo será avaliar os efeitos da norepinefrina e do cortisol sobre o dano no DNA e transformação maligna de queratinócitos derivados da mucosa bucal na presença e ausência do carcinógeno específico derivado do tabaco 4 (N-metil-N-nitrosamino) -1- (3-piridil) -butano-1-ona) (NNK). Os queratinócitos serão estimulados com diferentes concentrações de norepinefrina ou cortisol na presença ou ausência de NNK. Células não estimuladas serão usadas como controle. Após 24 horas ou 7 dias de exposição aos hormônios, as células epiteliais serão avaliadas quanto à presença de danos no DNA pelos ensaios cometa e de TUNEL. Os níveis celulares de 8-hidroxi-2-deoxiguanosina (8OHdG) serão mensurados por ELISA e a atividade celular das caspases 3 e 7 será avaliada por imunofluorescência. Ensaios de formação de colônias em ágar serão utilizados para avaliar os efeitos dos hormônios do estresse sobre a transformação maligna dos queratinócitos. A participação dos receptores ²-adrenérgicos tipos 1, 2 e 3, do receptor de glicocorticoide e das vias de sinalização das proteínas kinases PKA e SGK1 no dano ao DNA e transformação maligna dos queratinócitos induzidos pelos hormônios do estresse serão avaliados por experimentos de Western Blotting, ensaios de inibição e ensaios para avaliação do fenótipo maligno. Testes específicos serão utilizados para determinar se há diferenças significativas entre os grupos tratados com os hormônios na presença ou ausência de NNK e inibidores específicos.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
VALENTE, Vitor Bonetti. Hormônios do estresse promovem dano no DNA em queratinócitos humanos de boca. 2020. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista (Unesp) Faculdade de Odontologia.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.