Busca avançada
Ano de início
Entree

Territorialidades pós-conflito: o caso da Fazenda Cedro Cocido em córdoba, Colômbia

Processo: 18/09824-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Vigência (Término): 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Bernardo Mançano Fernandes
Beneficiário:Marcia Arteaga Pertuz
Instituição-sede: Instituto de Políticas Públicas e Relações Internacionais (IPPRI). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Campesinato

Resumo

A ocupação dos territórios rurais na Colômbia segue o modelo de colonização de intensaconcentração fundiária, como em outros países da América Latina, provocando disputas territoriais e permanente conflitualidade. Mais de quatro décadas de violência produziram mudanças agrárias nas formas de uso e apropriação dos territórios rurais favorecendo grandes proprietários, grupos armados, narcotraficantes, grupos político-partidários em detrimento do campesinato.Recentemente, com o surgimento de projetos de justiça transicional abriu-se a possibilidade de terminar esses períodos de violência e restituir aos camponeses seus direitos sobre os territórios rurais, como é o caso da Ley de Victimas e Restitución de Tierras. Este estudo centra-se na análise das territorialidades da Fazenda Cedro Cocido, na vila El Tronco, no distrito de Leticia, município de Montería, capital do departamento de Córdoba, costa noroeste da Colômbia, anteriormentepropriedade de uma das frentes paramilitares classificada como responsável pela vitimização,deslocamento e crimes contra camponeses na área desde a década dos 1990, hoje objeto derestituição. Analisaremos as formas de uso e apropriação dos territórios rurais que constam nos processos de disputas territoriais, considerando as relações de poder e as novas oportunidades e perspectivas que o pós-conflito representa para o campesinato. (AU)