Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção e caracterização de células dendríticas polarizantes aDC1 para protocolo clínico de imunoterapia anti-HIV

Processo: 18/12460-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Alberto José da Silva Duarte
Beneficiário:Laís Teodoro da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/25212-9 - Vacina terapêutica baseada em células dendríticas aDC1 e vírus autólogo inativado visando o controle viral de indivíduos infectados pelo HIV-1 em interrupção de terapia antirretroviral, AP.TEM
Assunto(s):Imunoterapia   Vacinas contra a AIDS   Células dendríticas   Anti-HIV

Resumo

A imunoterapia baseada em células dendríticas derivadas de monócitos (MoDCs) constitui uma estratégia promissora para o tratamento de indivíduos infectados pelo HIV. Devido à sua notória plasticidade, populações heterogêneas de MoDCs podem ser obtidas in vitro, dependendo das condições da cultura. No contexto da infecção pelo HIV é desejável o desenvolvimento de MoDCs capazes de produzir altos níveis de IL-12p70 e por consequência, induzir a diferenciação de linfócitos T virgens em células T produtoras de IFN-³ (perfil Th1). O presente projeto tem por objetivo a produção e caracterização de uma vacina anti-HIV baseada em células dendríticas polarizadas do tipo alfa-1 (aDC1). As aDC1 serão produzidas a partir de monócitos e diferenciadas em MoDCs imaturas após incubação com GM-CSF e IL-4 durante 6 dias. Subsequentemente as células serão incubadas com vírus autólogo inativado por aldrithiol-2 (AT-2) e ativadas utilizando-se IFN-g e ácido polinosínico-policitidílico (poli-I:C), juntamente com o coquetel de ativação composto por TNF-a, IL-1B, IL-6, IFN-a e PGE2 durante mais 2 dias. O HIV autólogo será isolado a partir de células mononucleares do sangue periférico (PBMCs) de cada indivíduo e será expandido em células alogênicas provenientes de doadores saudáveis. A fim de caracterizar o produto vacinal serão estudados aspectos fenotípicos (expressão de moléculas que participam do processo de apresentação antigênica, como por exemplo, MHC, moléculas de adesão, coestimuladoras, e de migração) e funcionais (capacidade de secretar citocinas, potencial migratório e habilidade em gerar resposta T específica para o HIV) dos precursores (monócitos) e das aDC1 no estágio imaturo e ativado. Finalmente, os dados obtidos in vitro serão correlacionados aos resultados obtidos no protocolo clínico. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DA SILVA, LAIS TEODORO; SANTILLO, BRUNA TERESO; DE ALMEIDA, ALEXANDRE; DA SILVA DUARTE, ALBERTO JOSE; OSHIRO, TELMA MIYUKI. Using Dendritic Cell-Based Immunotherapy to Treat HIV: How Can This Strategy be Improved?. FRONTIERS IN IMMUNOLOGY, v. 9, DEC 18 2018. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.