Busca avançada
Ano de início
Entree

Tabagismo e doenças articulares: investigação dos mecanismos de ação da hidroquinona e do aerossol gerado pelo tubo de tabaco (heatstick) na Artrite Reumatoide e na Osteoartrite

Processo: 17/26998-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Sandra Helena Poliselli Farsky
Beneficiário:Cintia Scucuglia Heluany
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/24639-7 - Tabagismo e Doenças Articulares: investigação dos mecanismos de ação da hidroquinona e do aerossol gerado pelo tubo de tabaco (Heatstick) na artrite reumatoide e na osteoartrite., BE.EP.PD
Assunto(s):Artrite reumatoide   Osteoartrite   Tabagismo   Fumaça de cigarro   Hidroquinonas   Benzeno   Modelos animais

Resumo

O uso do tabaco constitui a causa mais importante de morbidade e mortalidade no mundo. Neste contexto, o tabagismo é fator ambiental mais relevante na gênese de doenças articulares, como Artrite Reumatoide (AR) e Osteoartrite (OA), porém os mecanismos e os componentes do cigarro envolvidos ainda não estão elucidados. A hidroquinona (HQ) é o mais abundante componente pró-oxidativo na fumaça do cigarro, além de ser produto da biotransformação do benzeno, que também está presente em altas concentrações no cigarro. Nossos dados anteriores mostram que a exposição à HQ contribui para o desenvolvimento e agravamento da AR pelo modelo de Artrite Induzida pelo Colágeno (AIC) em ratos, desvendando mecanismos ainda não descritos para este xenobiótico. Cigarros não combustíveis tem sido propostos como potenciais alternativas para reduzir danos à população tabagista, porém os dados da literatura sobre suas toxicidades ainda são escassos e inconclusivos. Dentre estes, destaca-se os produtos do tabaco que aquecem, mas não queimam (heat not burn, como o aerossol iQOS gerado pelo tubo de tabaco), gerando assim, quantidades inferiores dos constituintes tóxicos em relação à fumaça do cigarro convencional. Assim, pretendemos aprofundar os mecanismos da ação tóxica da HQ na AR e OA, bem como sermos os pioneiros no Brasil, e um dos primeiros no mundo, a investigar a toxicidade do aerossol gerado pelo sistema heat no burn iQOS em doenças articulares. Para tanto, os estudos serão conduzidos em animais de experimentação no Laboratório de Toxicologia Experimental da FCF/USP e na Universidade de Surrey, Reino Unido. (AU)