Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel dos micro-RNAs na expressão fenotípica da doença hepática gordurosa não alcoólica

Processo: 18/04132-2
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Claudia Pinto Marques Souza de Oliveira
Beneficiário:Pedro Fernandes Andrade
Instituição Sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Hepatopatia gordurosa não alcoólica   Fígado gorduroso   Biomarcadores   MicroRNAs   Técnicas e procedimentos diagnósticos
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Dhgna | esteato-hepatite | Micro-RNAs | Gastroenterologia/Hepatologia

Resumo

A Doença Hepática Gordurosa não Alcoólica (DHGNA) é uma das causas mais comuns de hepatopatia na atualidade. Abrange um largo espectro de doença, podendo se apresentar como esteatose simples, esteato- hepatite não alcoólica (EHNA), cirrose e carcinoma hepatocelular (CHC). A DHGNA tem incidência e prevalência cada vez maior em todo o mundo e até hoje não se desenvolveu método diagnóstico que possa substituir a biópsia hepática. Além disso, não existem biomarcadores eficientes em predizer a evolução para esteato-hepatite e cirrose. Existe, portanto, uma necessidade urgente em desenvolver métodos que possam identificar precocemente, de forma não invasiva, pacientes de maior risco. A DHGNA tem etiologia multifatorial, sendo sua evolução claramente influenciada por fatores ambientais, genéticos e epigenéticos. Dentre os mecanismos epigenéticos, os microRNAs são os mais estudados em doenças hepáticas. Inúmeros microRNAs têm sido associados à DHGNA, entre eles o miR-122, miR-29, miR-33a, miR-21, miR-155 e miR-181. O objetivo deste projeto consiste em estudar a relação entre os níveis séricos dos micro-RNAs miR-122, miR-29, miR-33a, miR-21, miR-155 e miR-181 e a expressão fenotípica da DHGNA. Será realizado estudo transversal em pacientes com DHGNA diagnosticados por biópsia hepática, onde serão analisados dados clínicos, epidemiológicos, bioquímicos e principalmente histológicos (grau de fibrose e escore para avaliação da atividade necro-inflamatória) e sua correlação com os níveis séricos dos micro-RNAs supracitados. Este projeto visa à melhor compreensão do papel dos microRNAs nos diversos fenótipos da doença, bem como, melhor reconhecimento desses ácidos nucléicos como biomarcadores, tanto diagnósticos como prognósticos, além de se constituírem em potenciais alvos terapêuticos na DHGNA.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)