Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da programação fetal e perinatal por restrição calórica na imunorreatividade astrocitária do núcleo do trato solitário em Ratos Wistar

Processo: 18/11487-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Pesquisador responsável:José de Anchieta de Castro e Horta Júnior
Beneficiário:Gabriela Larissa Lima da Silva
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Lactação   Prenhez   Neurociências   Núcleo solitário

Resumo

O termo Programação refere-se às adaptações executadas pelo organismo frente a insultos ocorridos em fases importantes de seu desenvolvimento (fetal, neonatal e infância), gerando efeitos permanentes ou não, na estrutura e função de órgãos. O estado nutricional materno durante períodos críticos de desenvolvimento do indivíduo é considerado um importante indutor de Programação, visto que a deficiência de nutrientes durante a prenhez e a lactação, provoca alterações significativas no peso corpóreo, no balanço energético, na ingestão alimentar, na expressão de neuropeptídeos e na neuroglia. No sistema nervoso central, estas alterações ocorrem especialmente em áreas importantes para o controle do comportamento alimentar, como o núcleo do trato solitário (NTS), que desempenha um papel fundamental de integração de informação visceral no controle da saciedade, juntamente com o hipotálamo. O NTS é formado por um conjunto de subnúcleos com características citoarquitetônicas e de conectividade particulares que se desenvolvem durante o período embrionário e neonatal. A sinalização relacionada à saciedade é mediada em grande parte pelos aferentes primários glutamatérgicos provenientes do estômago e duodeno, e modulada por diversos neuropeptídeos. No entanto, não há informações relacionadas ao comportamento da neuróglia neste paradigma de programação por restrição calórica fetal e perinatal no NTS. Assim, o objetivo deste trabalho é analisar o efeito da programação por restrição calórica sobre os astrócitos do NTS, comparando a imunorreatividade à proteína glial fibrilar ácida (GFAP) como marcador astrocitário, em ratos adultos jovens controles com aqueles cujas mães foram submetidas à restrição calórica durante a prenhez e lactação. Para sua execução, será aproveitado material previamente coletado de projetos de pesquisa em execução em nosso laboratório onde foram realizados acasalamentos de ratos adultos da linhagem Wistar para obtenção das proles, das quais os filhotes machos serão objeto de estudo. Após a detecção da prenhez, as fêmeas foram separadas para a formação de dois grupos experimentais com animais de 90 dias de idade: grupo controle (GC), dieta normal ad libitum; e grupo restrição calórica (GR), dieta de 50% de restrição em relação ao grupo controle durante os períodos de prenhez e lactação. Todos os animais foram submetidos à perfusão transcardíaca para fixação. Os encéfalos serão processados para estudo da imunorreatividade a GFAP no NTS que será analisada de forma semi-quantitativa, por meio da contagem dos perfis de astrócitos e densidade óptica média e integrada. Os dados serão comparados e analisados estatisticamente quanto a sua significância (p<0,05).