Busca avançada
Ano de início
Entree

Síntese em fluxo da lobeglitazona

Processo: 18/11970-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Tecnologia Química
Pesquisador responsável:Mauri Sergio Alves Palma
Beneficiário:Leandro Leite Reche
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes mellitus   Reações químicas   Reatores químicos   Tiazolidinedionas   Microrreatores   Fluxo contínuo

Resumo

A diabetes mellitus tipo 2 acomete mais de 400 milhões de pessoas ao redor do mundo com perspectiva de aumento do número de portadores: mais de 640 milhões em 2040. A enfermidade se caracteriza principalmente pelo excesso de glicose no sangue, devido à secreção irregular e insuficiente de insulina, e dentre os fármacos utilizados no seu tratamento destaca-se a Lobeglitazona, um composto da classe das glitazonas que funciona como sensibilizador da insulina em seres humanos. Sua síntese será realizada em batelada ou em microrreator de fluxo contínuo. Quando comparada aos reatores batelada, a Tecnologia de Microrreatores (TMR) tem como vantagens principais a redução substancial de resíduos e de impactos gerados pelo processo e o aumento expressivo das taxas de transferência de massa e de calor, o que acarreta na facilidade de controle de processo, permitindo maior rendimento e seletividade das reações químicas. Este projeto de pesquisa tem como objetivo a síntese das três etapas finais do processo de obtenção da Lobeglitazona, primeiramente em reator batelada e depois em microrreator capilar de fluxo contínuo. Também busca definir as melhores condições operacionais em termos de temperatura, solvente, catalisador, concentração de catalisador e concentração total do meio nas duas modalidades de reator, além do tempo de reação no processo batelada, que corresponde ao tempo médio de residência no microrreator. Serão determinados os valores destas variáveis buscando maximizar a conversão do reagente limitante, rendimento e seletividade do produto.