Busca avançada
Ano de início
Entree

Estratégias para aumentar o tempo de viabilidade do espermatozóide e a fertilidade em novilhas leiteiras

Processo: 18/14920-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Guilherme Pugliesi
Beneficiário:Danilo Zago Bisinotto
Supervisor no Exterior: Rafael Sisconeto Bisinotto
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Florida, Gainesville (UF), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:17/26767-7 - Eficácia do diagnóstico de gestação pela Ultrassonografia Doppler aos 20 dias pós-IATF em vacas Nelore ressincronizadas com ou sem progesterona injetável, BP.IC
Assunto(s):Inseminação artificial animal   Técnicas reprodutivas   Fertilidade animal   Novilhas   Bovinos

Resumo

A eficiência das técnicas reprodutivas pra novilhas leiteiras é fundamental para a rentabilidade e o aumento da produção, determinando a idade do primeiro parto e dias não-produtivos. Para que essa eficiência seja alcançada os protocolos de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) em novilhas buscam otimizar o tempo e levar a um melhor planejamento dos passos a serem seguidos. No entanto, 25% das novilhas entram no cio 24h antes de serem inseminadas tendo assim uma redução na taxa de concepção nestes animais que possivelmente ovularam antes da hora. Porém a diferença do tempo da inseminação artificial nesse período tem como fator a duração da viabilidade do espermatozoide dentro do trato reprodutivo da novilha impedido que ele consiga ficar viável destes as primeiras ovulações até as últimas induzidas com GnRH. Com isso estratégias que possam estender o tempo de viabilidade do sêmen dentro do trato reprodutivo feminino permitiriam que a IATF fosse realizada 24 horas antes da segunda injeção de GnRH, podendo assim diminuir a perda em 25% dos animais. Embora os resultados de estudos in vitro sugiram que o "Semen Extender 1" (SE1) e o "Semen Extender 2" (SE2) desenvolvidos pela IMV Technologies sejam capazes de prolongar a fertilidade do sêmen após a inseminação, a validação de tais resultados in vivo ainda não foi conduzida. Com isso foram estruturados dois experimentos. O Estudo Piloto avaliará o efeito do processamento de sêmen sobre a taxa e perda de gestação, tendo como hipótese que a incorporação de SE1 e SE2 durante o processamento do sêmen não diminuirá a taxa de prenhez por IATF ou aumentará o risco de perda de gestação em novilhas leiteiras submetidas a IATF. Para isso, novilhas não lactantes da raça Holandesa com 13 meses de idade serão divididas em 4 grupos com 85 animais cada. Primeiro grupo: sêmen convencional não lavado sem tratamento adicional; segundo grupo: sêmen convencional lavado sem tratamento adicional; terceiro grupo: sêmen convencional tratado com SE1; e o último grupo: sêmen convencional tratado com SE2. Todas as novilhas serão submetidas a um protocolo recebendo injeção de GnRH e implante intravaginal de progesterona (d-8) e serão removidos 5 dias depois e as novilhas serão tratadas com duas injeções de PGF2± separadas por 24 h (d -3 e -2). Todas as novilhas receberão IATF e uma segunda injeção de GnRH 72 h após a primeira injeção de PGF2± (d 0). A gestação será diagnosticada pela ultrassonografia transretal 35 d após a IA e as novilhas prenhes serão reexaminadas no dia 63 após a IA. Já o Estudo Principal busca analisar os efeitos dos extensores de sêmen na viabilidade de espermatozoides e nos resultados de fertilidade. Como hipótese deste estudo tem-se que a incorporação de SE1 e SE2 durante o processamento do sêmen aumentará a taxa de prennhez em novilhas leiteiras submetidas a um protocolo de IATF modificado. Objetiva-se com este estudo avaliar os efeitos do tratamento do sêmen com SE1 e SE2 sobre a taxa de prenhez e risco de perda gestacional em novilhas leiteiras. Para isso as novilhas serão submetidas aos seguintes grupos experimentais: IATF no d 1 usando sêmen convencional sem tratamento adicional, IATF no d 0 usando sêmen convencional sem tratamento adicional, IATF no d0 usando sêmen convencional com SE1 e IATF no d0 usando sêmen convencional com SE2. As novilhas serão submetidas a um protocolo de IATF modificado. As novilhas receberão uma injeção de GnRH e um implante intravaginal de progesterona (d -7), o qual será removido 5 dias depois e as novilhas serão tratadas com duas injeções de PGF2± separadas por 24 h (d -2 e -1). Todas as novilhas receberão IA 48 h após a primeira injeção de PGF2± (d 0) e uma segunda injeção de GnRH 24 h depois (d 1). A gestação será diagnosticada pela ultrassonografia transretal 35 d após a IA e as novilhas prenhes serão reexaminadas no dia 63 após a IA. (AU)