Busca avançada
Ano de início
Entree

Ativação da via de sinalização HIF-1alpha/VEGF na neuroproteção mediada pelo receptor GPER-1 em modelo de isquemia por privação de glicose e oxigênio em células corticais cerebrais

Processo: 18/10348-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Pesquisador responsável:Carolina Demarchi Munhoz
Beneficiário:Sabrina de Carlis Miranda
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Farmacologia molecular   Isquemia   Fármacos neuroprotetores   Transdução de sinais   Neuroproteção   Prognóstico   Fatores de crescimento do endotélio vascular

Resumo

Muito tem sido estudado nas últimas décadas sobre os efeitos do estrógeno no organismo, além dos seus efeitos clássicos sobre a reprodução. Sua ação no sistema nervoso central (SNC) provou-se de extrema importância, principalmente em situações patológicas, já que efeitos neuroprotetores foram demonstrados. No contexto intracelular, o estrógeno interage não só com seus receptores nucleares clássicos (ERa e ERb), levando à modulação da transcrição gênica, mas também com o GPER-1 (receptor de estrógeno acoplado à proteína G), através de vias de sinalização rápida. Tanto os ERs quanto o GPER-1 são capazes de mediar a ação protetora estrogênica no SNC, que pode ativar vias de inibição de neurotoxicidade, de promoção de sobrevivência neuronal e de revascularização. Em estudos sobre câncer de mama e infarto do miocárdio foi observada a relação entre a ativação do GPER-1 e a via de sinalização HIF-1/VEGF, responsável pela revascularização de tecidos. No caso de isquemia cerebral, quando o fluxo sanguíneo encefálico é comprometido, a revascularização é de extrema importância para o restabelecimento de seu bom funcionamento. Os mecanismos desse processo, entretanto, ainda não foram bem elucidados. Utilizando cultura de células primárias do córtex cerebral de ratos neonatos, nosso estudo tem como objetivo elucidar a participação da via HIF/VEGF na ação neuroprotetora do estrógeno relacionada à revascularização encefálica mediada por este receptor de membrana em processos isquêmicos. Entendemos que se destacarmos tal sinalização rápida como uma fonte de neuroproteção em casos de isquemia, novas alvos terapêuticos e, consequentemente, novas ferramentas farmacológicas surgirão, possibilitando não apenas o sucesso do tratamento, como também a melhora do prognóstico de pessoas acometidas por tal situação.