Busca avançada
Ano de início
Entree

Redes fluviais como conectoras da paisagem: a qualidade das conexões ripárias influência os padrões de diversidade de peixes de riachos?

Processo: 18/11954-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Conservação da Natureza
Pesquisador responsável:Lilian Casatti
Beneficiário:Gabriel Lourenço Brejão
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Restauração florestal   Dinâmica da paisagem   Conservação da biodiversidade   Amazônia

Resumo

A expansão do agronegócio é apontada como um dos principais fatores direcionadores do desmatamento, atuando diretamente na perda e fragmentação de habitat, sendo uma das ameaças centrais para a diversidade de peixes de água doce na região Neotropical. Identificar e compreender quais os mecanismos pelos quais o desmatamento afeta as comunidades biológicas é de extrema importância para a elaboração de planos de conservação e de estratégias para o redução da perda de biodiversidade em escala regional. O presente projeto visa compreender como a dinâmica da paisagem atua na estruturação das assembleias de peixes de riachos, norteado por três questões: (1) diferentes processos de desmatamento afetam a conectividade e, por consequência, a diversidade, integridade física do habitat aquático e a qualidade das assembleias de peixes de riachos?; (2) a conectividade funcional entre os locais amostrados e as manchas de floresta associadas à rede fluvial determina uma maior diversidade taxônomica e funcional por tornar a matriz mais permeável?; e (3) quais cenários/estratégias de restauração dos corredores ripários podem ser propostos visando a conservação da biodiversidade? Esperamos poder contribuir para uma compreensão ampla dos efeitos do desmatamento sobre as comunidades de peixes de riachos, e contribuir para a elaboração de planos de conservação que contemplem conjuntamente os ecossistemas aquáticos e terrestres.