Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência dos mastócitos sobre o processo de diferenciação osteoblástica de células derivadas da calvária de ratos espontaneamente hipertensos

Processo: 18/10568-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Sabrina Cruz Tfaile Frasnelli
Beneficiário:José Vitor Ribeiro Jordão
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/03965-2 - Papel do sistema renina-angiotensina em diferentes modelos inflamatórios orais: uma abordagem interdisciplinar experimental e clínica, AP.TEM
Assunto(s):Hipertensão   Osteoblastos   Mastócitos

Resumo

Os mastócitos (MCs) desempenham um papel fundamental na resposta inflamatória, na reparação tecidual e na defesa do organismo, e quando ativadas liberam seus grânulos ricos em mediadores inflamatórios, como interleucinas e fatores de crescimento, que podem desempenhar um importante papel no tecido ósseo. O osso é um tecido metabolicamente ativo, sujeito a contínua remodelação ao longo da vida, garantindo a manutenção de força mecânica e a homeostase fisiológica sistêmica. Os osteoblastos (OB) compõem pequeno percentual das células residentes do osso, e são conhecidas por sua função construtiva. São responsáveis pela síntese e secreção da matriz orgânica, sua maturação e mineralização. Apesar de estudos recentes abordarem o papel dos MCs sobre a osteogênese, a interação exata e os mecanismos envolvidos nesse processo não estão totalmente elucidados. Portanto, a proposta do presente estudo visa investigar o papel dos MCs sobre a atividade osteoblástica a partir de células da calvária de ratos espontaneamente hipertensos, os quais apresentam um déficit na qualidade e densidade dos tecidos ósseos. Para tanto, será realizada a cultura, do sobrenadante das culturas dos mastócitos sensibilizados e estimulados por IgE + DNP, com os osteoblastos diferenciados, para possível avaliação do papel dos mediadores inflamatórios liberados pelos MCs que influenciam a mineralização da matriz óssea extracelular. A previsão é obter resultados, in vitro, que possam colaborar com um maior entendimento do papel dos MCs no remodelamento ósseo associada a uma desordem sistêmica epidemiologicamente relevante como a hipertensão.