Busca avançada
Ano de início
Entree

Obtenção de agentes diagnósticos a base de nióbio contendo íons lantanídeos

Processo: 18/02387-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Radiologia Médica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Lucas Alonso Rocha
Beneficiário:Susane Bonamin Moscardini
Instituição-sede: Pró-Reitoria Adjunta de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade de Franca (UNIFRAN). Franca , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/06761-0 - Desenvolvimento de novos agentes diagnósticos multimodais dopados com íons lantanídeos, BE.EP.MS
Assunto(s):Gadolínio   Processo sol-gel   Túlio   Lantânio

Resumo

O desenvolvimento de novos compostos capazes de atuar como agentes diagnósticos apresentam grande importância na área médica. No domínio atual da radiografia diagnóstica e da tomografia computadorizada, é necessário um agente de contraste para diferenciar os tipos de tecido de absorções semelhantes. Os agentes de contrastes mais utilizados são complexos de gadolínio, bário ou iodo e apesar de serem bastante eficazes a sua toxicidade faz com que novos estudos sejam desenvolvidos para substituir esses agentes de contrastes clássicos por outros compostos mais eficientes e menos tóxicos ao organismo. Outro uso para estes materiais está no campo de marcadores biológicos ou biomarcadores, em especial, marcadores contendo íons terras raras que permitem por exemplo, a detecção resolvida no tempo, o que elimina a interferência da auto fluorescência do meio biológico durante a análise. Neste contexto, este projeto tem o seu foco na obtenção de agentes diagnósticos a base de Nb2O5:Ln3+ (Ln3+ = La, Gd e Tm) como possíveis agentes de contrastes e biomarcadores. Para tal, os materiais a base de óxido de nióbio contendo os íons lantanídeos serão formados a partir do processo sol-gel. As propriedades estruturais e fotoluminescentes serão inicialmente investigadas utilizando as técnicas de microscopias eletrônicas de varredura, difratometria de raios X e espectroscopia de luminescência (excitação, absorção e emissão) e vibracional (FTIR e RAMAN). Finalmente, estes materiais serão submetidos à testes in vitro para se avaliar a citotoxicidade e a potencial aplicação como agentes diagnósticos.