Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do potencial antiinflamatório dos ácidos graxos ômega-3 através de seu receptor GPR120, sobre o parênquima pulmonar de camundongos obesos e diabéticos do tipo 2, induzidos pelo consumo de dieta rica em gordura

Processo: 17/18665-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Pesquisador responsável:Dennys Esper Corrêa Cintra
Beneficiário:Camila de Oliveira Ramos
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira , SP, Brasil
Assunto(s):Nutrigenômica   Resistência à insulina   Obesidade   Nutrição experimental   Ácidos graxos insaturados   Pneumonia   Receptores acoplados a proteínas-G

Resumo

A relação entre o trinômio obesidade-asma-diabetes tem sido cada vez mais evidenciada em estudos clínicos. Certamente isso se deve à evolução pandêmica mundial e fora de controle da obesidade, entretanto, sem mecanismo esclarecido. A inflamação crônica e de baixo grau é um dos denominadores comuns presentes na gênese da tríade, juntamente à resistência à insulina e leptina. No quadro de diabetes tipo 2 (DM2) concomitante à obesidade, a hiperinsulinemia e hiperleptinemia juntamente a moléculas como TNF±, IL1², IL6, INF³, IL17 interferem também no parênquima pulmonar, precipitando a gênese asmática. Macrófagos infiltrados no tecido juntamente à hiperleptinemia, potencializam o processo inflamatório local, enquanto a hiperinsulinemia reduz a contratilidade e dilatação do órgão, mas sem mecanismos definidos. Por outro lado, ácidos graxos ômega-3 (n3) atuam reduzindo o tônus inflamatório sistêmico, melhorando a resistência à insulina e leptina em diversos tecidos. Diversos trabalhos relacionam benefícios desses ácidos graxos na fisiopatologia da doença pulmonar, por induzirem proliferação de células epiteliais brônquicas, reduzirem a inflamação e acelerarem a recuperação das vias aéreas lesionadas por estímulos externos, contudo, com mecanísticas pobremente investigadas. A proposta deste projeto é avaliar o papel da proteína GPR120, um receptor de n3 recém descrito, nos desfechos inflamatórios do pulmão de animais obesos e DM2, induzidos por dieta rica em gordura saturada. Junto ao GPR120, participa sua proteína acopladora, ²-arrestina, a qual corrobora parte da desarticulação do processo inflamatório por interferir no disparado dos receptores Toll-like e TNF, e também no desmonte da estrutura do inflamassomo. Estudos com moléculas isoladas de n3 apresentam resultados contraditórios, provavelmente devido à dose. Contudo, este trabalho se propõe a investigar ampla orquestração molecular envolvida no fenômeno, a partir do oferecimento do n3 diretamente através de sua fonte alimentar exuberante (@52-58%), o óleo da semente de linhaça. O delineamento experimental que este projeto propõe, chega muito próximo da realidade humana, no que tange quantidade compatível com o consumo via alimentação, acessibilidade e reduzida chance de fraude nesse produto, em comparação aos óleos de peixes. Estudos evidenciam que o n3 presente na linhaça (C18:3) apresenta semelhante capacidade de conexão ao GPR120 em comparação aos oriundos de fonte marinha, EPA (C20:5) e DHA (C22:6).