Busca avançada
Ano de início
Entree

Extração de antocianinas de juçara (Euterpe edulis Mart.) usando solventes eutéticos profundos e aplicação nanotecnológica

Processo: 18/04265-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Veridiana Vera de Rosso
Beneficiário:Nicholas Tadeu Vannuchi da Costa Almeida
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Compostos bioativos   Nanotecnologia

Resumo

A "Química Verde" está pautada no desenvolvimento de processos que eliminam, ou reduzem, o uso de substâncias tóxicas e seu lançamento ao ambiente. Os solventes orgânicos convencionais (SOC) estão presentes em diversas etapas nos processos da indústria química. Apesar de serem comumente utilizados para a extração de compostos orgânicos, tais solventes geram danos ambientais e sociais devido sua toxicidade, inflamabilidade, volatilidade e presença residual no produto final. Novas tecnologias visando alternativas sustentáveis para substituição dos SOC surgiram, entre elas o desenvolvimento dos chamados Solventes Eutéticos Profundos (SEP). Estes líquidos possuem interessantes características para os mais diversos fins, inclusive para a extração de compostos bioativos. Antocianinas são bioativos usados como pigmento natural na indústria de alimentos, além de apresentam diversos efeitos benéficos a saúde devido a sua atividade antioxidante e antiinflamatória. A indústria de corantes estima crescimento do mercado nos próximos anos, atingindo valor de 1,77 bilhões de dólares globalmente em 2021, com uma tendência de substituição dos corantes artificiais pelos naturais. Os SEP já foram testados na extração das antocianinas mas ainda de forma bastante restrita. Em relação a biodisponibilidade das antocianinas no plasma sanguíneo após ingestão, este pode corresponder a somente 1% da dose consumida. O aprimoramento com nanopartículas lipídicas pode ser usado para proteção de biomoléculas ativas para uma liberação mais homogênea durante a disgestão, ajudando na absorção destes compostos. A juçara (Euterpe edulis Mart.) é uma palmeira típica da Mata Atlântica, rica em antocianinas, que ocupa uma vasta extensão territorial, porém a exploração extrativista de palmito levou ao esgotamento da espécie nas reservas naturais. A utilização sustentável da biodiversidade brasileira tem sido apontada como uma importante forma de conservar esse patrimônio, sendo o uso do fruto na alimentação humana uma alternativa de grande potencial econômico e ambiental. Abordando essas oportunidades, esse projeto tem como proposta desenvolver processos de obtenção de antocianinas a partir da polpa da juçara empregando os SEP, fornecendo técnicas de exploração alternativa e rentável da juçara. Posterior a obtenção dos pigmentos, serão desenvolvidas tecnologias de nanoencapsulamento visando agregar valor ao produto final.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.