Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil completo de anticorpos contra T. cruzi e auto-anticorpo na cardiomiopatia chagásica: utilizando tecnologias de phage display e sequenciamento da próxima geração para reavaliar uma hipótese antiga

Processo: 17/13706-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Alexandre da Costa Pereira
Beneficiário:Gabriela Venturini da Silva
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/17368-0 - Genômica cardiovascular: mechanismos & novas terapias - CVGen mech2ther, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):19/11821-1 - Construção de uma biblioteca de phage display de epítopos de Trypanosoma Cruzi para identificação de um perfil de anticorpos em cardiomiopatia chagásica crônica, BE.EP.PD
Assunto(s):Doença de Chagas   Autoanticorpos   Phage display   Cardiologia

Resumo

Trypanosoma cruzi (T. cruzi) é o parasita causador da doença de Chagas. Cerca de 6 a 9 milhões de pessoas em todo o mundo estão atualmente infectadas com T. cruzi e aproximadamente 70 milhões estão em risco de infecção. Cerca de 30% dos indivíduos infectados com T. cruzi desenvolvem uma cardiomiopatia dilatada fatal. A doença não tem cura e não há preditores clínicos ou epidemiológicos para dirigir atenção médica para quem, entre indivíduos infectados, desenvolverá cardiomiopatia. Embora os mecanismos que levam à miocardiopatia permaneçam desconhecidos, existem evidências da relação entre a resposta do hospedeiro (auto) imune como mediador da patogenicidade da doença. A resolução do (s) mecanismo (s) da doença foi dificultada pela disponibilidade da amostra e por questões técnicas que impedem uma visão abrangente da resposta de anticorpos do hospedeiro. Neste projeto, propomos determinar se as respostas imunes específicas do hospedeiro são associadas / preditivas ao desenvolvimento da doença cardíaca na infecção por T. cruzi. Estudaremos soros de pacientes com Chagas com e sem cardiomiopatia para identificar perfil de epítopos de T. cruzi e autoanticorpos humanos e, em seguida, associaremos a presença e títulos de anticorpos identificados com a gravidade e progressão da doença. Para esses estudos, juntaremos dois recursos únicos que nosso grupo e colaboradores conseguiram montar: (1) uma grande coleção de amostras de sangue organizada pelo Consórcio Brasileiro de Genética da Miocardiopatia Chagas e (2) tecnologias de identificação de perfil de anticorpos de alta escala (T7-PhIPseq e PLATO) capazes de rastrearem o perfil de anticorpos em várias amostras biológicas abrangendo toda a gama de proteomas humanos e patogênicos.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Bactérias substituem fertilizantes químicos sem causar impacto ambiental