Busca avançada
Ano de início
Entree

Tecidos eletricamente condutores incorporando nanomateriais

Processo: 18/12177-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE  
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Elétrica - Materiais Elétricos
Pesquisador responsável:Renata Cristiano Nome
Beneficiário:Renata Cristiano Nome
Empresa:AG Têxtil Eireli
CNAE: Acabamentos em fios, tecidos e artefatos têxteis
Fabricação de aditivos de uso industrial
Vinculado ao auxílio:17/22192-0 - Tecidos inteligentes eletricamente condutores incorporando nanomateriais, AP.PIPE
Assunto(s):Processos de fabricação   Tecnologia têxtil   Dispositivos eletrônicos vestíveis   Tecidos (indústria têxtil)   Materiais inteligentes   Materiais nanoestruturados   Materiais supercondutores   Nanofios   Prata   Internet das coisas

Resumo

A ideia da eletrônica impressa tem se expandido para a indústria têxtil lançando as bases dos denominados tecidos inteligentes. Tecidos inteligentes referem-se a um amplo campo de estudos e produtos que estendem a funcionalidade e usabilidade dos tecidos comuns. A convergência entre os tecidos inteligentes e a eletrônica dá origem ao termo "eletrônica têxtil" ou e-têxtil. De acordo com o roadmap "E-Textiles 2017-2027: technologies, markets, players report", investimentos significativos estão em curso por grandes empresas e o mercado deve atingir a casa dos US$ 5 bilhões de dólares em 2027. Isto representa um crescimento cumulativo impressionante de 30% ao ano. Nesse contexto, a preparação de tecidos eletricamente condutores é peça chave para a produção de tecidos inteligentes. O presente projeto de pesquisa tem como objetivo principal agregar valor aos principais tecidos comerciais, através da incorporação de nanomateriais condutores, visando aplicações como tecidos inteligentes em "eletrônica vestível". Especificamente, tecidos e fios/fibras naturais e sintéticos serão funcionalizados com nanofios metálicos (p.ex. prata, AgNW), previamente sintetizados, e nanotubos de carbono de parede única (SWCNT) por impregnação via úmida (tingimento). Objetivos nessa fase do projeto incluem: aumentar a escala de síntese de nanofios de prata e desenvolver metodologias para integrar estes nanomateriais, determinando sua interação físico-química com fios/fibras naturais e sintéticos. Para tanto, técnicas das mais diversas serão utilizadas, incluindo, por exemplo: espectroscopia, microscopia, medidas elétricas e mecânicas. Testes de resistência a lavagem dos tecidos/fios funcionalizados serão realizados para determinar sua durabilidade e estabilidade. Paralelamente, serão investigadas aplicações dos tecidos inteligentes produzidos na fabricação de telas sensíveis ao toque, demonstrando um protótipo funcional, denominado Tex-Tok, que possibilitará interatividade da roupa com computadores e celulares. O projeto incluirá atividade de mapeamento de patentes, buscando determinar oportunidades e aplicações para os tecidos condutores fabricados em eletrônica vestível e internet das coisas (IoT, do inglês Internet of Things). Para nosso melhor conhecimento, não há outros projetos com esse escopo ou qualquer atividade industrial em eletrônica têxtil atualmente em desenvolvimento no Brasil. Por outro lado, o Brasil possui um grande parque fabril ocioso que passou por momentos de pujança em décadas passadas e hoje sofre com competição de produtos têxteis mais baratos provenientes da China, Índia e Sudeste asiático. O projeto DYE-IO representa uma iniciativa de agregar valor aos tecidos nacionais e desenvolver novas aplicações avançadas utilizando maquinário e técnicas tradicionais da indústria têxtil. DYE-IO colocará o Brasil no seleto grupo de países, tais como Estados Unidos, Espanha, Coréia do Sul, China e Taiwan, que buscam agregar inteligência ao vestuário modificando de maneira definitiva a forma como nos relacionamos com nossas roupas. (AU)