Busca avançada
Ano de início
Entree

Potencial antimicrobiano e de biocompatibilidade de filmes de hexametildisiloxano incorporados a clorhexidina em superfície de titânio usando um modelo de epitélio oral gengival co-infectado reconstituído in vitro

Processo: 17/21894-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 15 de outubro de 2018
Vigência (Término): 14 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Valentim Adelino Ricardo Barão
Beneficiário:Adaias Oliveira Matos
Supervisor no Exterior: Richard L. Gregory
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa : Indiana University-Purdue University Indianapolis, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:16/06117-5 - Desenvolvimento de filmes de hexametildisiloxano incorporados com clorexidina na superfície de titânio: potencial antimicrobiano e citotoxicidade, BP.DR
Assunto(s):Próteses e implantes   Titânio   Tratamento de superfícies

Resumo

Uma conexão estável entre a superfície do implante de titânio / pilar e tecidos moles periimplantares é uma abordagem importante para o sucesso a longo prazo do tratamento com implantes dentários. Assim, tal superfície deve minimizar a colonização bacteriana enquanto permite uma boa adesão dos tecidos orais. Portanto, o objetivo deste estudo é avaliar o potencial antimicrobiano e de biocompatibilidade de filmes de hexametildissiloxano incorporados com e sem clorexidina (controle) (CHX) sobre a superfície de titânio comercialmente puro (cpTi) em um modelo de epitélio oral reconstituído in vitro co-infectado. A superfície usinada (M) também será usada como controle. O desenvolvimento e caracterização dessa superfície e seus potenciais antimicrobianos e de biocompatibilidade in vitro foram testados no Brasil no projeto de bolsas de doutorado. No entanto, não conseguimos realizar um modelo de coinfecção que represente um cenário clínico mais realista. Portanto, para a coinfecção de um ensaio de epitélio oral reconstituído in vitro, serão realizados exames de imunofluorescência, atividade metabólica, histologia, teste de citotoxicidade (liberação de LDH), teste de viabilidade (ensaio MTT) e imunohistoquímica (expressão Ki67). Os dados quantitativos serão analisados estatisticamente em um nível significativo de 5%. O número de amostras para cada ensaio será determinado por um estudo piloto.