Busca avançada
Ano de início
Entree

Fabricação e caracterização de nanofibras de alginato/fibroína de seda incorporadas com óleo de pequi aplicadas no tratamento de feridas cutâneas

Processo: 17/26194-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Marcia Cristina Branciforti
Beneficiário:Francisco Vieira dos Santos
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Eletrofiação   Polímeros   Biomateriais   Engenharia tecidual

Resumo

No Brasil, as lesões cutâneas constituem um grave problema de saúde pública, no que dizrespeito ao elevado número de doentes com algum tipo de lesão na pele. O grande número depessoas com algum tipo de úlcera ou queimadura contribui para elevar o gasto público em saúde,além disso, causa danos irreversíveis na qualidade de vida da população. Neste projeto, deseja-se utilizar os conhecimentos da engenharia de tecidos para produzir mantas eletrofiadas bioativas utilizando-se dois biopolímeros naturais (alginato e fibroína de seda) na forma de um curativo cutâneo. Contudo, a fibroína de seda quando utilizada de forma isolada na elaboração de um curativo apresenta baixas características físico-químicas e mecânicas. Neste contexto, o alginato surge como um propício candidato na melhoria das propriedades de intumescimento, resistênciamecânica, permeabilidade ao vapor d'água e oxigênio, hidrofilicidade, absorção de fluidos e capacidade hemostática do curativo. Além disso, o conhecimento das estruturas químicas e da morfologia da blenda, assim como, as características hidrofílicas e hidrofóbicas desses compostos permite obter um curativo cutâneo com sinergia nas propriedades de físicas, químicas, mecânicas, térmicas e biológicas. Em relação às propriedades antiinflamatória e cicatrizante, o atual projeto propõe a incorporação do óleo de pequi em combinação com os dois polímeros naturais associados com a técnica de eletrofiação para obtenção de curativos cutâneos que poderão ser aplicados no tratamento de feridas. Até o momento, pouco se sabe sobre as propriedades das blendas de alginato e fibroína de seda incorporadas com óleo de pequi produzidas por eletrofiação, e tal estudo certamente trará positivos impactos científicos e tecnológicos. Diante desse cenário, mantas eletrofiadas de blenda alginato/fibroína de seda incorporada com óleo de pequi, apresentam-se como promissores curativos cutâneos de baixo custo, com alto desempenho tecnológico e que poderão ser aplicadas no tratamento de feridas e queimaduras.