Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização termomecânica do nanocompósito epoxi-microfibrila de celulose

Processo: 18/13169-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:José Ricardo Tarpani
Beneficiário:Giovanna Rubo de Rezende
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Engenharia de materiais   Nanocompósitos

Resumo

O melhoramento de interfaces de compósitos tem motivado pesquisas emdiferentes campos, com o objetivo de reduzir custos e tempo de processamentoalém de otimizar suas propriedades físico-químicas. A celulose microfibrilada (MFC)foi desenvolvida recentemente como estrutura hierárquica na forma de agente deinterfaceamento entre resina epoxídica e reforços fibrosos (respectivamente de vidroe de carbono) contínuos crus (sem quaisquer revestimentos) e vem se tornandoreconhecida como agente interfacial no reforço de plásticos com as vantagens deapresentar baixo custo, mínimo impacto ambiental, fontes renováveis e grandedisponibilidade. Estudos adicionais, entretanto, ainda são necessários quanto aoseu comportamento principalmente frente a condições críticas de temperatura,umidade e estresse de diferentes tipos. A incorporação de três percentuais em pesode MFC (0,5%, 0,75% e 1%) a amostras de nanocompósitos constituídos de epóxidiglicidil éter do bisfenol A (DGEBA) será estudada em comparação a amostrasconstituídas sem a adição de MFC por meio das seguintes análises:termogravimetria (TGA), calorimetria exploratória diferencial (DSC), análisedinâmico-mecânica (DMA), ângulo de contato, taxa de absorção de umidade(envelhecimento higroscópico) e degradação em água quente e fria. Inicialmentecorpos de prova de dimensões padronizadas serão confeccionados em triplicatapara cada grupo de estudo e para cada percentual de MFC. Os resultados dasanálises apresentados como média e desvio-padrão para cada grupo de estudosserão submetidos a análise estatística comparativa empregando softwares comoExcel® ou Minitab®.