Busca avançada
Ano de início
Entree

Floresta de macacos: um estudo sobre as formas de ação e pensamento indígenas a respeito dos primatas e a floresta em tempos de crise ambiental

Processo: 18/07793-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 20 de janeiro de 2019
Vigência (Término): 19 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia - Etnologia Indígena
Pesquisador responsável:Uirá Felippe Garcia
Beneficiário:Uirá Felippe Garcia
Anfitrião: Marisol de la Cadena
Instituição-sede: Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Guarulhos. Guarulhos , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of California, Davis (UC Davis), Estados Unidos  
Assunto(s):Etnografia   Interação homem-animal   Caça   Criação animal   Primatas   Macacos   Amazônia

Resumo

Baseado em pesquisa etnográfica, este projeto explora conceitual e comparativamente questões recentes da Etnologia Indígena e dos chamados Estudos Multiespécie, a fim de discutir as práticas de conhecimento relativas aos animais nas socialidades amazônicas, tendo como foco diferentes formas de "caça", "criação" e "manejo". Conceitualmente, o projeto se insere no debate mais geral das críticas levantadas por uma antropologia interessada na vida/natureza que vem pensando as humanidades e não humanidades (e a própria natureza) contemporâneas como "emaranhamentos interespécies", conforme aponta Tsing (2015). A partir de um conjunto de trabalhos que vêm sendo vinculados aos "estudos multiespécies", pretendo reexaminar - por meio de minha própria etnografia bem como de outras pesquisas em etnologia - uma discussão central na socialidade amazônica, que é o debate entre caça e criação. Etnograficamente, o projeto se volta para as formas de ação e compreensão guajá (povo indígena do leste amazônico) relativas a diversas espécies de primatas - em especial, os bugios (Alouatta belzebul) - frente ao agudo processo de destruição de seus territórios.