Busca avançada
Ano de início
Entree

Micronização do fármaco Imiquimode com CO2 supercrítico visando o aumento da solubilidade em meios fisiológicos e sua incorporação em novos veículos de liberação

Processo: 18/05237-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química
Pesquisador responsável:Angela Maria Moraes
Beneficiário:Paula de Freitas Rosa Remiro
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Química (FEQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/19151-5 - Avaliação da penetração de imiquimode em pele e mucosa bucal antes e após a micronicação utilizando tecnologia supercrítica, BE.EP.PD
Assunto(s):Desenvolvimento de novos materiais   Bioprocessos   Fármacos   Hidrogéis   Dióxido de carbono   Fluidos supercríticos

Resumo

Dentre os inúmeros tipos de Cânceres existentes, o Carcinoma de Células Escamosas (CCE) é um dos que apresenta maior taxa de incidência. Alinhado a este problema, tem-se a procura por fármacos e produtos que sejam capazes de tratar esta Neoplasia, particularmente nos casos de ocorrência em mucosas orais e genitais, para as quais o tratamento local ainda é um desafio. Assim, este projeto tem a finalidade de promover a micronização do fármaco Imiquimode para que ele se torne mais solúvel em meios fisiológicos e que seja possível incorporá-lo em veículos mucoadesivos. Visando o emprego de técnicas versáteis e com baixo impacto ambiental, neste trabalho propõe-se a utilização de CO2 supercrítico no processo de micronização. Desta forma, neste projeto, será utilizada a técnica SAS (Supercritical AntiSolvent) em que no início tem-se a introdução do solvente líquido puro até a condição de estado estacionário ser obtida. Então, a solução contendo o soluto de interesse é atomizada através de um bico injetor ou capilar em uma dada taxa em um fluxo de anti-solvente. Devido à alta solubilidade do solvente no anti-solvente, ocorre a precipitação do soluto (fármaco). Com a micronização do medicamento espera-se obter o aumento da área superficial que influencia diretamente na solubilidade e na velocidade de dissolução do fármaco nos fluidos biológicos, para que, assim, o fármaco possa ser mais amplamente empregado no tratamento auxiliando a cura desta patologia. O material micronizado será incorporado a dispositivos poliméricos mucoadesivos na forma de filmes ou membranas e de hidrogéis visando ampliar o leque de veículos usados para sua aplicação local, usualmente na forma de cremes e emulsões. (AU)