Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo sobre Nadja e a técnica da montagem

Processo: 18/10450-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Literaturas Estrangeiras Modernas
Pesquisador responsável:Alexandre Bebiano de Almeida
Beneficiário:Guilherme de Almeida Gesso
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Literatura estrangeira   Surrealismo   Memória autobiográfica   Montagem   Análise de conteúdo   Estudos literários

Resumo

É corrente na fortuna crítica do surrealismo a associação da literatura produzida por essa vanguarda com o universo onírico e com o método psicanalítico. Essa concepção, quase consensual (difundida até mesmo no senso comum), é devida, em boa parte, a declarações dos próprios artistas surrealistas ou de teóricos e críticos contemporâneos ao movimento. Um ensaio de Theodor Adorno, "Revendo o Surrealismo" (1956), vai de encontro, contudo, a essa leitura estabelecida: o crítico procura destacar ali os procedimentos formais que estariam na base da literatura surrealista, com especial relevo para a montagem, diminuindo assim o papel da psicanálise para as produções artísticas do movimento. Na esteira da sugestão de Adorno, este projeto tem como objetivo analisar o livro de André Breton, Nadja (1928), com o intuitode descrever em que medida essa narrativa autobiográfica leva a cabo a técnica da montagem- e quais os efeitos estéticos e as consequências dessa escolha. Para realizar tal exame recorreremos a duas grandes referências: por um lado, aos ensaios do grande teórico damontagem, o diretor soviético Sergei Eisenstein, que pesquisou detidamente, na obra O Sentido do Filme (2002), o uso da montagem não só no cinema, como também na literatura;por outro lado, vamos nos basear nos estudos do crítico literário alemão Peter Bürger, cujo esforço analítico desdobra minuciosamente as estruturas fundamentais de algumas das obras surrealistas.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: