Busca avançada
Ano de início
Entree

Invasões por gramíneas africanas e restauração de formações de cerrado: uma abordagem de modelo de estado e transição

Processo: 18/09054-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Alessandra Tomaselli Fidelis
Beneficiário:Gabriella de Faria Oliveira Damasceno Ribeiro
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/06743-0 - Como a época do fogo afeta a vegetação do cerrado?, AP.JP
Assunto(s):Savana   Fogo   Restauração ecológica   Ecologia da restauração   Manejo   Brachiaria

Resumo

Estados alternativos estáveis (EAE) são as possíveis configurações estáveis nas quais um sistema ecológico pode existir em função de suas características abióticas e bióticas. Além disso, um mesmo EAE suporta diferentes configurações do sistema em virtude de pequenas alterações ambientais. A presença de espécies invasoras é capaz de modificar as características do sistema e o acúmulo dessas modificações pode levar à transição entre EAE's. A restauração de áreas invadidas é mais viável quando se trata de reverter uma transição entre configurações de um mesmo EAE do que quando já houve a transposição do limiar ecológico para outro EAE; neste caso, a restauração poderia originar um terceiro e distinto EAE. Assim, é importante conhecer os mecanismos e as características bióticas e abióticas que determinam a dinâmica de degradação/regeneração em sistemas invadidos. A pesquisa proposta tem o objetivo de construir um modelo conceitual de estado e transição para as invasões por gramíneas africanas no Cerrado, utilizando como objeto de estudo a espécie Urochloa brizantha. O modelo será fundamentado em dados primários mensurados nos níveis de microhabitat (luminosidade, umidade e temperatura), de indivíduo (área foliar específica), comunidade (riqueza, diversidade e estrutura) e ecossistema (produtividade primária, fluxo de carbono e taxa de decomposição). Os experimentos serão do tipo BACIP (before-after control-impacted paired), sendo que o impacto consistirá em queimadas prescritas, devendo ser implementadas em Itirapina/SP e Brasília/DF. Em cada área estabeleceremos três blocos de parcelas pareadas, sendo cada par formado por uma parcela (25m²) controle e uma parcela manipulada. Cada bloco abrangerá um gradiente de abundância na cobertura percentual de U. brizantha (0, 25, 50, 75 e 100). Realizaremos três queimadas anuais na transição entre as estações seca-chuvosa para investigar de que forma a abundância da invasora influencia o estado do sistema ecológico após a execução das queimadas. Esperamos que as gramíneas exóticas e as queimas direcionem o ecossistema para estados estáveis distintos. Utilizaremos análises estatísticas variadas (análises de caminho, modelos generalizados mistos aditivos e lineares, análises de ordenação e de permutação) e uma abordagem heurística para a construção do modelo final. Este projeto prevê a realização de estágio no exterior sob tutela da Dra. Samantha Setterfield, professora da University of Western Australia in Perth, como parte da elaboração do modelo conceitual.