Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da via colinérgica anti-inflamatória sobre alterações metabólicas induzidas por dietas hiperlipídicas

Processo: 18/15981-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Denise Morais da Fonseca
Beneficiário:Luísa Menezes Silva
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/25364-0 - Cicatriz imunológica pós-infecção intestinal aguda e desenvolvimento de desordens metabólicas: estudo das interações entre a microbiota e sistema imunológico do mesentério, AP.JP
Assunto(s):Doenças metabólicas   Dieta hiperlipídica   Imunidade nas mucosas   Microbioma gastrointestinal   Etiologia

Resumo

Nos últimos anos, o mundo tem vivido uma epidemia de doenças metabólicas que afeta populações de diferentes faixas etárias em diferentes áreas do globo. Obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e doenças metabólicas em geral, são consideradas doenças complexas por terem uma etiologia multifatorial que inclui uma combinação de fatores genéticos e ambientais. O sistema imunológico pode participar ativamente da patogênese de tais doenças, em especial o sistema imunológico associado à mucosa intestinal e aos diferentes compartimentos de tecido adiposo (Koren, Spor et al. 2011, Tremaroli and Backhed 2012). Neste contexto, a microbiota intestinal possui um papel ativo tanto na digestão e absorção de nutrientes como na regulação local e sistêmica do sistema imune. Sabe-se que quebra do equilíbrio dieta-microbiota-hospedeiro pode prevenir ou desencadear o desenvolvimento de doenças inflamatórias e metabólicas (Turnbaugh and Gordon 2009, Turnbaugh, Hamady et al. 2009). Em tecidos de barreira onde há alta exposição a antígenos ambientais e microbianos, como é o caso mucosa intestinal, diversas vias de regulação atuam em conjunto para manter a homeostase tecidual e prevenir a indução de respostas inflamatórias crônicas e patológicas (Hooper, Littman et al. 2012). Entre os diferentes mecanismos estudados, destaque tem sido dado às vias neurais na manutenção da homeostase imunológica e tecidual. O controle da inflamação pela via colinérgica e arco-reflexo inflamatório, via sistema nervoso parassimpático é talvez um dos mecanismos neurais mais estudados no controle das respostas imunológicas. A via colinérgica antiinflamatória é um mecanismo fisiológico mediado pelo nervo vago pelo qual o sistema nervoso central controla o sistema imune e pode ser ainda uma possível estratégia para o tratamento de desordens inflamatórias e infecciosas (Tracey 2002, Andersson and Tracey 2012). Trabalhos recentes têm associado o efeito da interação entre microbiota-sistema nervoso na susceptibilidade a doenças metabólicas, o chamado eixo cérebro-intestino (Schele, Grahnemo et al. 2013, De Vadder, Kovatcheva-Datchary et al. 2014). No entanto, pouco se sabe sobre a influencia dos diferentes tipos de inervação simpática e parassimpática sobre a regulação da resposta imune no tecido adiposo visceral. Resultados preliminares obtidos para o desenvolvimento deste projeto mostram que animais submetidos à cirurgia de vagotomia unilateral apresentam maior ganho de peso quando submetidos à dietas hiperlipídicas e cetogênicas. Dessa forma, neste projeto pretendemos determinar se tais animais desenvolvem síndrome metabólica e os mecanismos imunológicos envolvidos neste processo.