Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da liberação de ATP no gânglio da raiz dorsal no desenvolvimento da hiperalgesia inflamatória

Processo: 17/19105-8
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Pesquisador responsável:Carlos Amilcar Parada
Beneficiário:Júlia Borges Paes Lemes
Instituição Sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/15255-0 - Canais Panexina 1 e sinalização de ATP em mecanismos de sensibilização na dor periférica, BE.EP.DR
Assunto(s):Dor   Trifosfato de adenosina   Gânglios espinais
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Atp | Células Satélites | Dor | Gânglio da raiz dorsal | Panx1 | Dor e inflamação

Resumo

O ATP (adenosina trifosfato), inicialmente conhecido como uma fonte de energia intracelular, exerce importante papel na comunicação intercelular em condições fisiológicas e patológicas. Essa molécula parece ser importante no desenvolvimento da hiperalgesia inflamatória no sistema nervoso periférico sendo considerado como um importante mediador na comunicação entre neurônios aferentes primários e células satélites, nos gânglios sensoriais. O ATP pode ser liberado pelo corpo de neurônios sensoriais do gânglio da raiz dorsal (GRD), sendo estocados em vesículas lisossomais e posteriormente liberados por exocitose. Outra forma de liberação do ATP é pelos canais de membrana denominados Panexinas (panx). Pesquisa recente mostra que panexina1 (panx1) está presente em neurônios e células satélites do GRD e que este canal é importante no desenvolvimento da dor neuropática. Resultados anteriores do grupo sugerem que o ATP liberado no GRD atua em receptores P2X7 em células satélites gliais e que estas células participam do processamento da dor inflamatória. Embora no sistema nervoso central tenha sido observada uma relação entre o receptor purinérgico P2X7 e panx1, ainda não existem dados sobre esta relação no GRD. Considerando que a liberação de ATP no DRG pode ser um mecanismo no desenvolvimento da hiperalgesia inflamatória, o objetivo deste projeto é estudar os mecanismos envolvidos na liberação de ATP no GRD durante o desenvolvimento da hiperalgesia induzida por carragenina e na nocicepção induzida por capsaicina no tecido periférico de ratos. Considerando a importância dos mecanismos envolvendo ATP na comunicação entre neurônios nociceptivos primários e células satélites do DRG, este estudo poderá fornecer subsídios para o estabelecimento de novos alvos farmacológicos no controle da dor inflamatória.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LEMES, Júlia Borges Paes. Estudo da liberação de ATP mediada por Panx1 e exocitose no gânglio da raiz dorsal: efeito sobre a nocicepção e hiperalgesia. 2021. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Biologia Campinas, SP.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas utilizando este formulário.