Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da idade de deformação da Zona de Cisalhamento de Taxaquara, Faixa Ribeira (Brasil), através de análises geocronológicas e termocronológicas

Processo: 18/16307-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 11 de março de 2019
Vigência (Término): 10 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Ginaldo Ademar da Cruz Campanha
Beneficiário:Bruno Vieira Ribeiro
Supervisor no Exterior: Peter Cawood
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Monash University, Austrália  
Vinculado à bolsa:18/00320-9 - Análises cristalográficas, deformacionais e termocronológicas dos milonitos da zona de cisalhamento de Taxaquara (São Paulo), BP.MS
Assunto(s):Termocronologia   Tectônica   Geocronologia

Resumo

A evolução da Faixa Ribeira, SE do Brasil, é dominada por um sistema de zonas de cisalhamento instaurado entre o Ediacarano e Cambriano e caracterizado por zonas transcorrentes rúptil-dúcteis a dúcteis. A Zona de Cisalhamento de Taxaquara (ZCT) foi uma das primeiras estruturas transcorrentes de relevância regional identificadas na Faixa Ribeira, tendo sido atribuída a ela grande importância na compartimentação tectônica desta entidade tectônica. Os mecanismos de deformação das zonas de cisalhamento, modelos tectônicos e o período em que esse sistema se instalou ainda são temas de debate na literatura científica. Apesar da importância que lhe tem sido atribuída, a ZCT tem sido pouco estudada desde sua definição, o que a torna um alvo interessante de ser reavaliado à luz de novos conceitos e técnicas de investigação em microtectônica, geologia estrutural e geocronologia.Pesquisas geocronológicas/termocronológicas acerca do período de ativação do sistema de zonas de cisalhamento da Faixa Ribeira são raras e poucos dados estão disponíveis na literatura. Essa proposta de estágio à pesquisa no exterior a ser realizada na Monash University (Melbourne, Austrália) tem como objetivo realizar tentativamente análises U-Pb em apatita, monazita e zircão em milonitos e rochas correlatas à ZCT. Apatita é um mineral abundante nas rochas da ZCT e seu estudo termocronológico se faz pertinente, pois sua temperatura de bloqueio é similar à temperatura de deformação da falha (H450°C). Datações U-Pb em apatita, no entanto, são raras no país e, com o desenvolvimento deste estágio de pesquisa, dados importantes serão gerados e disponibilizados para a literatura. As idades U-Pb, somadas àquelas a partir dos métodos 40Ar/39Ar e (U-Th)/He desenvolvidos no país, proverão importante informações acerca do período de ativação e soerguimento da ZCT e do sistema de zonas de cisalhamento da Faixa Ribeira a partir de correlações regionais.