Busca avançada
Ano de início
Entree

Simulações de sistemas convectivos de mesoescala sobre a Bacia Amazônica usando um modelo climático de alta resolução

Processo: 18/17134-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 10 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 07 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Pesquisador responsável:Tercio Ambrizzi
Beneficiário:Amanda Rehbein
Supervisor no Exterior: Masaki Satoh
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Tokyo, Japão  
Vinculado à bolsa:16/10557-0 - Sistemas convectivos de mesoescala sobre a Bacia Amazônica: clima presente e projeções futuras em cenário de mudanças climáticas, BP.DR
Assunto(s):Bacia amazônica   Modelos matemáticos   Climatologia

Resumo

Os sistemas convectivos de mesoescala (SCMs) ocorrem ao redor do globo, sendo associados a fortes tempestades, transferência vertical de calor e grandes quantidades de precipitação, entre outros. A precipitação é fundamental para o equilíbrio dos ecossistemas sobre a bacia Amazônica, a principal bacia hidrográfica do mundo. As mudanças climáticas são iminentes e aceleradas pelos seres humanos. Nesse caso, ações de prevenção e mitigação para minimizar ou tentar evitar seus impactos dependem do conhecimento do comportamento de variáveis como temperatura e precipitação. Assim, é importante questionar: como será a ocorrência e o comportamento médio dos SCMs na bacia Amazônica em cenários de mudanças climáticas? Esses sistemas aumentarão, diminuirão ou permanecerão aproximadamente constantes? Sua intensidade aumentará, diminuirá ou será a mesma do presente? Detectar e rastrear SCMs depende de dados de alta resolução espacial e temporal. Para o clima presente, imagens de satélites geoestacionários no canal infravermelho e/ou um conjunto de dados de precipitação são geralmente usados. Para o futuro, só podemos usar dados de precipitação de modelos numéricos. O NICAM (Non-hydrostatic Icosahedral Atmospheric Model) é um modelo de circulação geral que permite simulações de circulação atmosférica global de alta resolução (Satoh et al., 2014). O objetivo desta investigação é utilizar as simulações do NICAM para obter dados de precipitação com alta resolução e utilizá-las para estudar as ocorrências futuras de SCMs sobre a bacia Amazônica, comparando com o presente.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.