Busca avançada
Ano de início
Entree

Origem e diversificação dos grandes grupos de serpentes: fósseis-chaves basais e a irradiação Cenozóica de Colubroides (Squamata)

Processo: 18/11902-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 13 de outubro de 2018
Vigência (Término): 12 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Hussam El Dine Zaher
Beneficiário:Hussam El Dine Zaher
Anfitrião: Michel Laurin
Instituição-sede: Museu de Zoologia (MZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Muséum National d'Histoire Naturelle, França  
Assunto(s):Sistemática   Filogenia   Morfologia (anatomia)   Serpentes   Squamata

Resumo

O presente projeto tem como objetivo principal estudar os padrões filogenéticos intrínsecos à origem e posterior diversificação das Serpentes, utilizando de forma inédita uma ampla amostragem fóssil e recente e combinando dados morfológicos e moleculares. A pesquisa será realizada no Muséum National d'Histoire Naturelle de Paris, em colaboração com o Dr. Michel Laurin, supervisor do projeto, e o Dr. Nour-Eddine Jalil, curador da Coleção de Répteis Fósseis do Museu. Pretendo abordar dois pontos chaves da história evolutiva das Serpentes: 1) a sua origem ainda controversa no Cretáceo, e 2) a sua irradiação no Cenozóico. Para atingir estes objetivos, pretendo estudar o registro fóssil Mesozóico e Cenozóico disponível no MNHN, com ênfase nos táxons-chaves de Serpentes e dos grupos de Squamata mais próximos, incluir nas análises novos fósseis-chaves ainda em fase de descrição, e combinar os dados morfológicos com os resultados filogenômicos produzidos recentemente pela minha equipe. Além disso, pretendo estimar o tempo de divergência dos clados de serpentes durante o intervalo temporal supra-citado, empregando métodos indiretos de calibragem das árvores ("node dating methods") e métodos de evidência total ("tip dating methods"). Esta última abordagem melhorou consideravelmente nosso conhecimento sobre a origem e diversificação dos vertebrados, sendo que novos métodos de calibragem direta das árvores foram recentemente desenvolvidos pela equipe do Dr. Laurin. Estes métodos deverão aprimorar nosso conhecimento sobre a evolução das serpentes, sendo capazes de produzir estimativas de taxas de diversificação e de fossilização combinando os resultados derivados das topologias de árvores encontradas com os intervalos temporais dos fósseis presentes nestas árvores.