Busca avançada
Ano de início
Entree

Digestibilidade aparente e estandardizada do farelo de arroz integral na presença ou não de enzimas para frangos de corte

Processo: 18/10289-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Messias Alves da Trindade Neto
Beneficiário:Gustavo De Martino Barbosa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Farelo de arroz   Nutrição animal   Alimentação animal   Digestibilidade   Suplementos alimentares para animais   Nutrientes   Farelos   Frangos de corte

Resumo

O objetivo desta pesquisa será avaliar o balanço de nutrientes e a digestibilidade ileal aparente e estandardizada dos aminoácidos do farelo de arroz na alimentação de frangos de corte na presença ou não de enzimas exógenas. As enzimas utilizadas serão: multicarboidrase, fitase e a combinação das duas. Cento e quatro frangos de corte dos 22 aos 27 dias de idade serão utilizados para a determinação do balanço nutricional (ensaio 1 - coleta total de excretas no período de 22 a 25 dias de idade) e digestibilidade ileal aparente e estandardizada dos aminoácidos (ensaio 2 - coleta ileal aos 27 dias de idade) do farelo de arroz integral (FAI), os quais serão alojados em gaiolas de metabolismo, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 2 x 2 + 1, sendo: primeiro fator a enzima fitase nos níveis 0 e 50mg, e o segundo fator o composto multicarboidrase (MC) nos níveis 0 e 200mg. Assim, os 4 tratamentos serão: (FAI sem enzima, FAI + fitase, FAI + MC, FAI + fitase + MC). Os tratamentos serão aplicados em 5 repetições (4 aves/gaiola), totalizando 80 aves. Durante avaliação da digestibilidade, uma dieta de referência (DR) para a determinação das perdas endógenas será fornecida (tratamento controle) em outras 6 repetições (4 aves/gaiola), num total de 24 aves. Os tratamentos serão constituídos pela DR) e quatro dietas à base de milho (Ensaio 1) ou amido de milho (Ensaio 2). A dieta sem suplementação de enzimas consistirá de 70% da DR e 30% do FAI como única fonte de proteína (Método de substituição). No Ensaio 2, a DR será formulada com 5% de caseína para determinação de perdas endógenas dos aminoácidos. Todas as dietas serão suplementadas com vitaminas e minerais para suprir as demandas nutricionais mínimas segundo Rostagno et. al. (2017). Os dados serão submetidos à análise de variância utilizando o PROC GLM do SAS 9.2.