Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de seguimento das alterações cardiorrespiratórias e seu impacto na capacidade de exercício físico em pacientes com sobreposição de ICC e DPOC

Processo: 18/03314-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Audrey Borghi e Silva
Beneficiário:Polliana Batista dos Santos
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/26501-1 - Estudo dos fatores limitantes ao exercício físico e efeitos dos recursos adjuntos a reabilitação nas doenças cardiorrespiratórias crônicas: uma abordagem multicêntrica, AP.TEM
Assunto(s):Exercício físico   Insuficiência cardíaca   Doença pulmonar obstrutiva crônica   Qualidade de vida   Teste de esforço   Aptidão cardiorrespiratória

Resumo

As doenças cardiopulmonares são as principais causas de morte no Brasil, elas são responsáveis por em média 20% das mortes na faixa etária acima de 30 anos de idade. A Insuficiência Cardíaca Crônica (ICC) e a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) compartilham sinais e sintomas semelhantes, e elas frequentemente coexistem, levando a pior prognóstico, bem como, a maior desafio no diagnóstico e nos processos terapêuticos. Um dos sintomas mais relevantes em pacientes com sobreposição da ICC e DPOC é a diminuição da capacidade ou até mesmo a intolêrancia ao exercício. O comportamento das variáves cardiorrespiratórias e metabólicas derivadas do TECP em pacientes com ICC e em pacientes com DPOC já são bem estabelecidos na literatura, no entanto, ainda não se tem o conhecimento suficiente dessas variáveis em pacientes que cursem com a "Síndrome Overlap". Hipótese: Nós hipotetizamos que a coexistência da ICC na DPOC resulte em pior prognóstico para esses pacientes, impactando tanto em sua condição de saúde, como na capacidade funcional, afetando de forma negativa a qualidade de vida. Acreditamos também, que o pior prognóstico acarretará em maior uso de serviços de saúde e hospitalizações, podendo elevar as taxas de mortalidade e morbidade. Espera-se também que o declínio funcional desses pacientes no período de um ano seja maior do que em pacientes com DPOC ou ICC isoladas. Objetivos: Avaliar o impacto da coexistência da DPOC em pacientes com ICC e vice-versa, na capacidade de exercício máximo, na tolerância ao exercício, na qualidade de vida e nas condições de saúde desses indíviduos, bem como, verificar o declinio funcional em 1 ano de seguimento. Desenho do estudo: Trata-se de um estudo de caráter prospectivo, observacional, com follow-up de um ano. Sujeitos e métodos: indivíduos diagnosticados previamente com ICC, DPOC ou a coexistência dessas duas doenças em estado estável, que, após confirmação diagnóstica, passarão por uma avaliação clínica. Para avaliação da qualidade de vida, estado da doença e comorbidades esses pacientes serão solicitados a preencherem questionários validados para a população ICC e DPOC. Para investigação das alterações ventilatórias e cardiocirculatórias, estes serão submetidos a um teste de exercícios cardiopulmonar máximo ou sintoma limitado. A seguir, serão acompanhados durante 1 ano, e ao término desse prazo, serão submetidos aos mesmos procedimentos experimentais. Relevância do estudo: A intenção desse estudo é despertar a atenção a uma população de indivíduos pouco diagnosticada que apresentam um declínio funcional muito rápido, no entanto, os mecanismos causadores desses declínios ainda são pouco compreendidos. Além disso, através desse estudo pretende-se entender como a coexistência dessas doenças contribui para tal declínio funcional. (AU)