Busca avançada
Ano de início
Entree

Potencial efeito da hipericina incorporada em sistemas nanoestruturados mucoadesivos associados as terapias fotodinâmicas e sonodinâmicas antimicrobianas contra cepas de Candida Albicans

Processo: 18/17573-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 23 de outubro de 2018
Vigência (Término): 29 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Marlus Chorilli
Beneficiário:Mariana Rillo Sato
Supervisor no Exterior: John Francis Callan
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Ulster, Coleraine, Irlanda do Norte  
Vinculado à bolsa:16/11198-4 - Carreadores lipídicos nanoestruturados dispersos em hidrogéis de geleificação in situ para administração vaginal de hipericina associados à terapia fotodinâmica no tratamento da candidíase vulvovaginal, BP.DR
Assunto(s):Candida albicans   Terapia fotodinâmica

Resumo

A terapia fotodinâmica (TFD) é uma alternativa potente para o tratamento de infecções fúngicas, como a candidíase vulvovaginal. A TFD usa um fotossensibilizador (FS) e luz visível, no entanto, a penetração da luz no tecido humano ainda é limitada. Uma técnica consideravelmente nova está sendo pesquisada para melhorar essa desvantagem. A terapia sonodinâmica (TSD) usa ultrassom (US) que, diferentemente da luz, pode se propagar mais profundamente no tecido, uma vez que o US gera cavitação inercial, produzindo oxigênio singlete. Os efeitos fungicidas das terapias TFD/TSD contra cepas de Candida albicans utilizam FS natural extraído de Hipericum perforatum, hypericin (HIP). A HIP atraiu a atenção dos pesquisadores por causa da alta capacidade de produzir oxigênio; no entanto, pode ser distribuído sistemicamente, causando a morte de células indesejáveis. Para superar essa limitação, a HIP foi incorporada em sistemas nanoestruturados mucoadesivos, como o carreador lipídico nanoestruturado disperso em hidrogéis in situ. Os sistemas são promissores para a liberação vaginal da HIP, pois permitem minimizar sua toxicidade e reações adversas, promover liberação prolongada do fármaco, e assim, aumentar o tempo de entrega do fármaco no ambiente vaginal. Os sistemas combinados com as eficazes terapias TFD/TSD mediadas por HIP podem apresentar respostas importantes ao tratamento de infecções fúngicas.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.