Busca avançada
Ano de início
Entree

Estratégias de manejo integrado da giberela do trigo visando racionalização do uso de fungicidas

Processo: 18/00171-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Waldir Cintra de Jesus Junior
Beneficiário:Marcela Borges Munhoz
Instituição-sede: Centro de Ciências da Natureza (CCN). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Campus de Lagoa do Sino. Buri , SP, Brasil
Assunto(s):Controle   Silício   Controle químico   Resistência genética

Resumo

A cultura do trigo é de grande importância para o Brasil, sendo que a região Sudoeste é a principal produtora do Estado de São Paulo. A produtividade do trigo pode ser comprometida por diversos fatores, sendo que as doenças têm papel preponderante. Dentre as doenças destaca-se a giberela (Fusarium graminearum) (FHB, "Fusarium heat blight" em inglês), que além de poder causar redução na produção também pode afetar grandemente a qualidade dos grãos devido à produção de micotoxinas que representam um enorme risco à saúde humana e animal. Assim, o manejo da doença é um enorme desafio para a triticultura mundial. O manejo da doença é feito geralmente empregando-se fungicidas, cultivares com determinado nível de resistência à doença e práticas culturais. Entretanto, verifica-se que uma estratégia utilizada isoladamente não apresenta, na maioria dos casos, uma efetividade no manejo. Assim, há necessidade de se analisar o efeito da combinação de outras estratégias para garantir a manutenção da produtividade da cultura e a qualidade dos grãos de trigo. Nesse sentido, o silício tem surgido como uma alternativa promissora no manejo de várias doenças em diversas culturas, principalmente quando utilizado de maneira integrada com outras estratégias, potencializando as respostas de defesa da planta contra os patógenos. Deste modo, o presente projeto de pesquisa visa entender a estrutura e o comportamento da giberela do trigo sob diferentes combinações de manejo integrado, de modo a gerar informações importantes, práticas, de eficiência comprovada e economicamente viável sobre o manejo da referida doença. Serão testadas 8 combinações de manejo (CM) envolvendo resistência genética (2 cultivares com níveis de resistência diferentes ao patógeno, moderadamente resistente e suscetível), aplicação ou não de fungicida (triazol + estrobilurina) e uso ou não de silício (na forma de silicato de potássio), a saber: CM1 = cultivar moderadamente resistente (MR), uso de fungicida (F) e aplicação de silicato de potássio (SP) (MR_F_SP); CM2 = cultivar MR, uso de fungicida (F) e não aplicação de silicato de potássio (NSP) (MR_F_NSP); CM3 = cultivar MR, não uso de fungicida (NF) e aplicação de silicato de potássio (SP) (MR_NF_SP); CM4 = cultivar MR, não uso de fungicida (NF) e não aplicação de silicato de potássio (NSP) (MR_NF_NSP); CM5 = cultivar suscetível (S), uso de fungicida (F) e aplicação de silicato de potássio (SP) (S_F_SP); CM6 = cultivar S, uso de fungicida (F) e não aplicação de silicato de potássio (NSP) (S_F_NSP); CM7 = cultivar S, não uso de fungicida (NF) e aplicação de silicato de potássio (SP) (S_NF_SP); e CM8 = cultivar S, não uso de fungicida (NF) e não aplicação de silicato de potássio (NSP) (S_NF_NSP). Serão conduzidos experimentos em condições de campo, em um delineamento em blocos casualizados, em parcela subdividida, com 3 repetições. As avaliações constarão da quantificação da intensidade da doença (incidência, severidade e índice de giberela), da produção e da qualidade dos grãos de trigo (grãos danificados por Fusarium e TW - densidade do grão). Análises envolvendo "linear mixed-model" serão efetuadas para determinar o efeito principal e das interações para cada variável quantificada. Os dados de cada experimento serão analisados separadamente e então, baseados nos resultados das análises iniciais, os dados poderão ser juntados e analisados em conjunto. Cada estratégia de manejo, resistência genética (S ou MR), uso ou não de fungicida (F ou NF) e aplicação ou não de silicato de potássio (SP ou NSP) será considerada como um programa separado de manejo para refletir as opções que o produtor pode ter de manejo da doença. Assim, o conhecimento oriundo deste estudo servirá de subsídios para a elaboração de um programa de manejo integrado da giberela do trigo. Vale ressaltar que as técnicas propostas são práticas e de fácil utilização pelos produtores.